Deus Vai Cuidar de Você nos Tempos Difíceis | World Challenge

Deus Vai Cuidar de Você nos Tempos Difíceis

David WilkersonAugust 19, 2015

Enquanto escrevo esta mensagem, o mundo todo está amedrontado, perplexo e confuso. Até os mais consagrados cristãos se perguntam a respeito dos acontecimentos tão céleres que vão se apresentando. Será que estas coisas são proféticas?

Por todo lado ouço crentes fazendo a mesma pergunta que eu faço: “Nós chegamos aos momentos finais da história da humanidade?”. Eu não sei – qualquer raciocínio sobre esse assunto seria mera especulação. Mas uma coisa é certa: estamos vendo uma aceleração dos acontecimentos mundiais como nunca houve.

A Grande Depressão dos anos 30 tem sido considerado o pior período econômico de todos os tempos. Hoje, muitos economistas entendem estarmos à beira de uma depressão econômica que suplantará até nossos mais difíceis momentos. Há uma sensação de perigo no ar. Muitos sentem o mundo sob um rumo do qual não haveria volta. Há rumores de guerras, guerras raciais, guerras santas. Seria esse o dia sobre o qual Jesus profetizou, no qual os homens desfaleceriam de medo ao verem os perigos chegando sobre a terra?

Será que somos a geração que assistirá a volta do Senhor Jesus? Será que chegamos àquele ponto da história quando se diz, “não passará esta geração até que tudo aconteça”?

Acredito termos chegado a este tempo – o terrível dia do Senhor. Estou convencido em meu espírito, que estamos prestes a testemunhar o desdobrar de grandes e assustadores sofrimentos e tribulações.

O mundo vai ser virado de cabeça para baixo, e seus alicerces abalados. “A terra é quebrantada, a terra é fendida... A terra vacila como um ébrio, oscila como uma choça ao vento... ela cai,e jamais se levantará” (Isaías 24:19-20).

Segundo Isaías, a terra não caminha para um rejuvenescimento, mas para uma total ruína. O profeta não estava espiritualizando isso. Ele quis dizer que literalmente o riso irá cessar, o caos irá reinar, as casas se fecharão: “Toda alegria se escureceu, foi-se a alegria da terra... e tremem os fundamentos da terra” (Isaías 24:11,18).

Quando um tempo assim chegar, o que acontecerá aos verdadeiros seguidores de Jesus? Se o mundo se mantiver piorando até o cumprimento da profecia de Isaías – se vamos atravessar uma parte ou todas estas calamidades – então como Deus vai cuidar de nós?

Assim como o Senhor nos avisou em detalhes em relação aos problemas futuros, Ele também vai nos revelar como irá nos proteger

O nosso Deus tem um plano definido. É tão simples e absoluto quanto o próprio universo. O plano Dele pode ser resumido em uma sentença: Ele nos protegerá pelo poder de Sua palavra já anteriormente determinada.

Vamos ser preservados pela palavra falada de Deus. É uma palavra de livramento pronunciada desde a fundação do mundo. Em verdade, este plano é algo que Deus determinou antes de haver o mundo.

O nosso Deus nunca é pego de surpresa – nada O surpreende. Ele tinha um plano para nos preservar muito antes de haver nações, exércitos, guerras, crises econômicas, pragas, violência. “Determinando-lhes os tempos já dantes ordenados” (Atos 17:26). Deus previu todas estas coisas, e declarou a realidade de uma palavra de preservação que é eterna e inabalável como o Seu próprio caráter.

Digamos assim: hora a hora, dia a dia, Deus vai nos preservar do mesmo jeito que Ele agora preserva o sol, a lua, as estrelas, galáxias, e as próprias forças da natureza. Ele o fará pela Sua palavra previamente proferida. A Sua palavra protetora é a mesma que governa a luz, a escuridão, as marés, as estações do ano, o ar que respiramos.

No início, a palavra predeterminada de Deus foi proferida: “Haja luz. E houve luz” (Gênesis 1:3). A partir daquele momento, e ao longo dos tempos e da eternidade, houve, há e sempre haverá luz: “O luminar maior para governar o dia, e o luminar menor para governar a noite” (1:16).

De repente, pelo poder da palavra predeterminada de Deus, uma bola de intenso fogo apareceu no firmamento. Foi tão majestoso que apenas um Deus eterno e onisciente poderia criar. E igualmente tão de repente apareceu no firmamento um pequeno planeta, em órbita ao redor da terra e refletindo a luz do sol; era a lua.

O sol, a lua, as bilhões de estrelas, as galáxias inumeráveis, todos se mantêm em suas órbitas determinadas, em obediência à palavra proferida de nosso Senhor. A palavra Dele dita no passado mantém cada coisa em seu lugar. Jó diz que pela Sua palavra, Deus “Fala com o sol, e (então) ele não brilha; ele veda e esconde a luz das estrelas” (Jó 9:7).

O Senhor não precisa lembrar aos planetas para se manterem em suas órbitas. Ele não tem de ficar mandando as estações mudarem, ou avisar as marés de que elas não devem invadir a terra. Ele proferiu a palavra uma vez – e assim foi, e sempre será, até que Ele fale de novo e crie novos céus e nova terra. “Pela palavra de Deus já desde a antiguidade existiram os céus e a terra... Mas os céus e a terra que existem agora, pela mesma palavra, têm sido guardados para o fogo, sendo reservados para o dia do juízo” (2 Pedro 3: 5, 7).

Até chegar este tempo, Jesus Cristo sustenta todas as coisas pelo poder da Sua palavra. “O Filho é o resplendor da sua glória (de Deus) e a expressa imagem da sua pessoa, sustentando todas as coisas pela palavra do seu poder” (Hebreus 1:3). “Ele é antes de todas as coisas, e todas as coisas subsistem por ele” (Colossenses 1: 17).

Veja, Jesus proferiu uma palavra para a sustentação de todas as coisas criadas; quando Ele veio à terra como homem por trinta e três anos, todas as coisas criadas eram sustentadas pela palavra eterna que Ele havia declarado uma vez no início. Somente à ordem Dele tais coisas mudavam e obedeciam à nova ordem; quando os discípulos de Jesus O viram acalmando o mar, disseram, “Quem é este homem, que até os ventos e o mar lhe obedecem?” (Mateus 8:27).

Tão certo quanto Ele criou todas as coisas pelo poder da Sua palavra, também o Senhor proferiu uma palavra eterna de preservação para guardar todos os Seus filhos

Desde o início, Deus prometeu preservar todos os que Nele confiam. Ele declarou esta palavra eterna a Abraão: “Eu sou o teu escudo” (Gênesis 15:1). Esta palavra foi para toda a eternidade. E Deus a estende a toda a semente de Abraão, incluindo a nós que temos fé em Cristo. Ele será o nosso escudo através da eternidade. Deus proferiu uma palavra no início, e desde então toda geração tem provado – em meio a tudo que Satanás pôde lançar contra eles – que o Senhor é o nosso escudo.

Por anos me perguntei a respeito do sentido pleno destas palavras do Senhor, “Não só do pão vive o homem, mas de tudo o que sai da boca do Senhor” (Deuteronômio 8:3). Agora eu sei.

Moisés trouxe estas palavras aos israelitas ao lhes recordar a fidelidade de Deus. O significado é este: “O Senhor permitiu que vocês experimentassem a fome. Ele os humilhou levando-os a uma situação na qual toda engenhosidade humana é em vão. Se Deus não houvesse cuidado de vocês de modo sobrenatural, vocês teriam morrido. A questão não era o alimento, mas sim a confiança Nele. O Senhor, que criou o mundo pela palavra, teve uma palavra de preservação para vocês. Todas as palavras Dele são vossas pela fé”.

Quando Israel estava no deserto, Deus lhes fez algo novo. Ele disse as palavras, “Haja maná. Deixe que eles descubram o que é”. Ele criou uma coisa nova.

Israel poderia ter convocado seus príncipes e líderes para planejar e traçar estratégias sobre como Deus poderia lhes alimentar e cuidar. Mas ninguém jamais teria concebido que Deus cobriria o chão com pequenos grãos brancos, redondos – um novo tipo de comida que a humanidade nunca havia visto ou provado. Era o alimento dos anjos!

Você quer saber como Deus irá lhe preservar em todos os seus tempos difíceis? Ele fará isso proferindo uma nova palavra, se necessário – criando tudo que você precisa pelo poder da Sua palavra. Tudo que Deus teve de fazer foi falar a palavra “maná”, e toda uma geração de israelitas foi preservada.

Jesus usou esta mesma palavra quando Satanás O tentou para transformar pedra em pão, a fim de aliviar as dores de fome. “Não só do pão vive o homem, mas de toda a palavra que sai da boca de Deus” (Mateus 4:4).

Jesus sabia que Ele era a semente de Abraão. E sabia que a eterna palavra de preservação de Deus Lhe fora dita, “Eu sou o teu escudo [protetor]” (Gênesis 15:1). Cristo poderia enfrentar uma situação impossível pelos padrões do homem, e mesmo assim descansar na palavra de Deus: “Eu sou o teu protetor”.

Ao enfrentar a fome e a sede no deserto, o Seu coração estava descansado, pois Jesus sabia que o Senhor havia dito a palavra de que Ele estava seguro. A Sua missão houvera sido proferida desde a fundação do mundo, e nenhuma arma forjada contra esta missão prosperaria. Ele confiou que o Pai O preservaria à moda do próprio Deus: pelo poder da Sua palavra.

Ao fim dos quarenta dias, Jesus também estava se alimentando do alimento dos anjos. Ele tinha um alimento que nenhum homem conhecia: “Vieram anjos e o serviram” (Mateus 4: 11).

Hoje muitos cristãos estão tentando descobrir como Deus irá cuidar do Seu povo quando a ruína do mundo chegar com força total

Alguns planejam se isolar nas montanhas ou no deserto. Mas Jesus nos diz, “Não vos inquieteis, dizendo: Que comeremos? Que beberemos?” (Mateus 6:31).

O nosso Pai celestial sabe do que precisamos, e declarou esta palavra eterna, “Buscai, pois, em primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça, e todas estas cousas vos serão acrescentadas” (Mateus 6: 33).

Você está ouvindo a promessa de Jesus aqui? Tudo que você precisar! A palavra de Cristo já predeterminada a respeito de nós foi estabelecida nos céus muito antes de qualquer de nós haver nascido. O nosso Criador declarou esta palavra em caráter definitivo: “Em cada geração Eu protegerei, guardarei, alimentarei e preservarei todos os que buscarem primeiro a Mim”. Esta palavra é tão firme quanto a palavra que mantém os planetas no lugar.

Creio que Deus tem um certo desejo em relação ao Seu povo nestes tempos conturbados; trata-se de nos conceder uma convicção inabalável de que Ele vai nos guardar do poder do iníquo. Deus está desesperadamente tentando nos encher com consolação e paz. Ele jurou que a Sua palavra é permanente, eterna, e é para nós:

“Por isso, Deus, quando quis mostrar mais firmemente aos herdeiros da promessa a imutabilidade do seu propósito, se interpôs com juramento, para que, mediante duas cousas imutáveis, nas quais é impossível que Deus minta, forte alento tenhamos nós que já corremos para o refúgio, a fim de lançar mão da esperança proposta; a qual temos por âncora da alma, segura e firme e que penetra além do véu” (Hebreus 6:17-19).

A sua alma está ancorada na esperança? Você desfruta de forte alento baseado em saber que Deus não pode mentir, e que a Sua palavra se mantém para lhe preservar nos tempos difíceis? Gaste um tempo para ler e digerir todo o Salmo 91. Você encontrará a eterna palavra de Deus entregue de uma vez por todas. É dada por um Deus que não pode mentir. Apesar de dita por Davi, ela contém a verdade para todas as gerações a partir de então – e especialmente para nós.

Como corpo de Cristo, temos uma esperança mais forte e melhor do que Jó, Davi ou qualquer outro crente do Velho Testamento

Nós somos osso dos ossos do Senhor, carne da Sua carne. “Porque somos membro do seu corpo” (Efésios 5: 30). Em verdade, nós somos o Seu agregado familiar. E a palavra de Deus diz, “Se alguém não tem cuidado dos seus e especialmente dos da própria casa, tem negado a fé e é pior do que o descrente” (I Timóteo 5: 8).

Pense no que Paulo está dizendo aqui. Você acolhe a ideia de que o Cabeça da nossa casa não irá nos prover? Fazer isso é acusá-Lo de negar a Si próprio, e chamá-Lo de descrente. É impossível para Cristo negligenciar o próprio corpo! “Porque ninguém jamais odiou a própria carne; antes, a alimenta e dela cuida, como também Cristo o faz com a igreja” (Efésios 5:29). O Senhor teria de odiar a própria carne para não dar atenção ou cuidados a você e a mim na hora da dificuldade.

Não tente descobrir como Ele irá se portar para lhe preservar. Não dá para descobrir mais do que você poderia adivinhar como Ele iria abrir o mar Vermelho... ou como Ele iria conservar vivos os jovens hebreus numa fornalha ardente... como fecharia a boca de leões famintos a noite toda enquanto Daniel se assentava entre eles... como extrairia água da rocha e traria alimento do céu... como iria alimentar 5.000 pessoas com apenas alguns pães e peixes.

Jamais conseguiríamos entender nenhum destes. Somente Ele possui as palavras de eternidade – e apenas Ele vai nos sustentar por toda a eternidade. Na glória não necessitaremos de nenhum outro meio de sustento, senão do Filho de Deus. Seremos sustentados pela presença Dele próprio. Ainda mais: a mesma palavra que nos manterá então, é a palavra que está nos sustentando agora. Ela continuará a nos guardar não importa o quão desolador ou em ruínas este mundo se torne.

Uma discussão doutrinária se arrasta por anos: os verdadeiros crentes atravessarão a Grande Tribulação? Nós, que amamos Jesus, viveremos para ver todas aquelas coisas terríveis? Alguns dizem que Jesus virá para levar a noiva antes do sofrimento. Outros dizem que Ele virá no meio da tribulação. Outros ainda dizem que teremos de suportar tudo.

Quero acalmar a sua mente com esta passagem: “Depois destas cousas, vi, e eis grande multidão que ninguém podia enumerar... Um dos anciãos tomou a palavra, dizendo: Estes, que se vestem de vestiduras brancas, quem são e donde vieram?... Ele, então, me disse: São estes os que vêm da grande tribulação” (Apocalipse 7:9, 13-14).

Tais crentes vêm – e era grande multidão. Amado, este é o ponto: eles entraram, mas também vêm, saem. Eles não só sobreviveram a grandes sofrimentos, como também saíram gritando um testemunho muito especial: “O louvor, e a glória, e a sabedoria, e as ações de graças, e a honra, e o poder, e a força sejam ao nosso Deus, pelos séculos dos séculos” (Apocalipse 7:12).

Estas pessoas não “sobreviveram” apenas. Elas cantam Daquele que as fez sair. Deus se provou a elas de todos os modos; elas aprenderam e “o servem de dia e de noite”- tanto nas épocas mais negras, quanto nos momentos mais abençoados.

Deus não está interessado em simplesmente nos preservar fisicamente com alimento, água e abrigo. Isso não é uma grande vitória aos Seus olhos. Os vencedores descritos em Apocalipse 7 triunfaram nos piores dias porque a Palavra de Deus inteira chegou viva a eles. Eles tinham o Seu braço forte, a Sua glória e sabedoria até o fim. Toda palavra saída da boca de Deus se tornou real – e eles O louvaram com grandes ações de graças.

Imagine: sem desespero, sem curvar-se com medo, sem render-se às ameaças satânicas; tais vencedores saíram e vieram lavados, vieram vestidos de branco e vieram vitoriosos. E assim será com o povo de Deus hoje. Portanto, seja encorajado – a palavra predeterminada de Deus diz que não importa o que enfrentarmos, estamos saindo. Aleluia!

Download PDF