O Toque de Deus | World Challenge

O Toque de Deus

David WilkersonFebruary 27, 2012

Daniel testifica: "Eis que certa mão me tocou, sacudiu-me e me pôs sobre os meus joelhos e as palmas das minhas mãos" (Daniel 10:10). A palavra para "tocou" aqui quer dizer “se apoderou violentamente”. Daniel estava dizendo basicamente: "Quando Deus pôs as mãos sobre mim, me fez cair sobre minha face. O Seu toque me deu necessidade de orar, buscá-Lo com todo o meu ser".

Isso acontece toda vez que Deus toca a vida de alguém. Essa pessoa cai de joelhos e se torna um homem ou mulher de oração levada a buscar o Senhor. Tenho muitas vezes me perguntado por que Deus toca apenas algumas pessoas com essa urgência. Os servos tocados por Deus têm uma relação íntima com o Senhor recebendo revelações do céu, e desfrutam de um caminhar com Cristo que poucos conhecem. Por que alguns ficam famintos em buscá-Lo enquanto outros prosseguem nos seus caminhos?

Penso em Daniel. Esse consagrado servo foi tocado por Deus de modo sobrenatural. Havia muitas outras pessoas boas e piedosas servindo ao Senhor nos dias de Daniel: Sadraque, Mesaque e Abede-Nego, assim como Baruque, escriba de Jerusalém. Inúmeros outros israelitas mantinham igualmente a fé enquanto escravizados na Babilônia.

Então, por que Deus impôs as mãos sobre Daniel e o tocou da maneira que o fez? Por que apenas esse homem se tornou capaz de ver e ouvir coisas que ninguém mais conseguia? Ele declara: "Só eu, Daniel, tive aquela visão; os homens que estavam comigo nada viram" (Daniel 10:7).

Eis a incrível visão que Daniel teve: "No dia vinte e quatro do primeiro mês, estando eu à borda do grande rio... levantei os olhos e olhei, e eis um homem vestido de linho, cujos ombros estavam cingidos de ouro puro... o seu corpo era como o berilo, o seu rosto, como um relâmpago, os seus olhos, como tochas de fogo, os seus braços e os seus pés brilhavam como bronze polido" (10:4-6).

Era uma visão do próprio Cristo, clara e vívida; em verdade, foi a mesma visão dada a João na Ilha de Patmos (v. Apocalipse 1:13-15). Agora Deus fala a Daniel de modo inconfundível, "como o estrondo de muita gente" (10:6). Não foi um pio ou um sussurro, mas o trovejante ressoar de um ruidoso tumulto.

O Senhor se revelou a Daniel dessa maneira por uma razão específica: Ele queria cessar a longa fome pela Sua palavra. Ele decidiu que havia chegado a hora de entregar uma mensagem à humanidade perdida. E queria que os Seus servos soubessem o quê Ele estava prestes a fazer, e por que: "Fazer-te entender o que há de suceder ao teu povo nos últimos dias" (10:14).

Mas Deus precisava de uma voz para declarar Sua mensagem. Ele queria um homem de oração, um servo que respondesse fielmente ao chamado. Daniel era esse homem. Ele havia estado orando com devoção três vezes ao dia. E agora, enquanto andava junto ao rio, Cristo se revela a ele - e Daniel fica abalado pela experiência. Ele diz: "Caiu sobre eles um grande temor, e fugiram e se esconderam. Fiquei, pois, eu só e contemplei esta grande visão, e não restou força em mim... Contudo, ouvi a voz das suas palavras" (10:7-9).

As escrituras não identificam os homens que estavam com Daniel. Poderiam ser guardas babilônicos, ou funcionários do governo; afinal de contas, Daniel ocupava um alto posto no reino. Em minha opinião, estes homens eram israelitas, especificamente amigos e companheiros piedosos de Daniel. Então, se é assim, por que fugiram? Daniel diz que eles nem viram e nem ouviram nada. Por que foram compelidos a se esconder?

Eis o porquê: Deus estava no processo de possuir Daniel; estava preparando o seu servo, corpo e alma, para receber uma palavra dos céus. E isso é sempre uma visão impressionante. Toda vez que Deus toca um dos Seus servos - homens de oração - Ele se manifesta nesse vaso humano. Primeiro, Ele o esvazia de todo o seu eu, e aí o possui totalmente.

A visão desse processo pode infundir medo em cristãos amarrados à carne. Ou faz com que os seus pecados ocultos se derretam, ou os induz a fugirem da cena. Lembro-me de um mover desse tipo em minha própria vida, vários anos atrás, antes que o nosso ministério se mudasse para Nova York. A minha esposa Gwen e eu estávamos em nosso quintal no Texas com outros casais cristãos. De repente, o Espírito de Deus me dominou, e eu caí com rosto em terra.

O Senhor começou a falar ao meu coração sobre as almas perdidas. Logo eu estava chorando e profetizando. Sentia-me como se estivesse na presença do próprio Deus, tirado desse mundo. O Seu Espírito movia-se sobre mim, me chamando, dando-me uma visão para o ministério. Eu não sei quanto tempo estive naquele estado. O que eu sei é que, durante aquele tempo as nossas visitas se desculparam e saíram. Algo na cena os afugentara.

Sempre me pergunto: esse toque sobrenatural de Deus seria simplesmente uma questão de predestinação? Os que recebem o Seu toque seriam pessoas escolhidas e eleitas para tal ainda antes de nascerem? Seriam elas simplesmente destinadas à oração, à posse pelo Espírito Santo, à recepção de palavras vindas do trono de Deus?

Faço essas perguntas devido a uma inexplicável fome em minha alma, fome dada por Deus. O meu homem interior anseia por uma revelação de Cristo. Algo em mim simplesmente não se aquietará com revelação vinda de qualquer outra pessoa. Por quê? Estou convencido de que Deus tem uma palavra particular que deseja transmitir a essa geração. E agora mesmo, está procurando na terra servos que Ele possa possuir. Ele quer homens e mulheres que servirão como Seus oráculos para um mundo perdido. Só a Sua poderosa e ungida palavra pode combater o crescente espírito do islamismo e dos falsos evangelhos. E somente a Sua verdade pode saber como dar um golpe mortal nos interesses pessoais, no materialismo e na luxúria em Sua própria igreja.

Uma palavra pura está prestes a vir dos céus mais uma vez. Verdade convincente será pregada pelos lábios de nova geração de pessoas que buscam a Deus, pessoas que dispuseram o coração inteiramente a Cristo. Hoje mesmo o Senhor está levantando homens e mulheres que são tocados por Deus e possuídos pelo Espírito. Ele vai pôr esses servos em chamas com Sua verdade. E Seu toque em suas vidas fará o mundo inteiro tomar conhecimento.

1. Deus Fez de Daniel Oráculo Seu Porque Este Jamais Abandonou a Oração

O Senhor toca todo servo que é fiel na oração. Ele busca os que estão dispostos a se disciplinar a fim de ouvir a Sua voz. A Bíblia chama essa atitude de "dispor o coração". Daniel diz: "Voltei o meu rosto ao Senhor Deus, para o buscar com oração e súplicas, com jejum, pano de saco e cinza" (Daniel 9:3).

Daniel então nos diz: "Falava eu ainda, e orava, e confessava o meu pecado e o pecado do meu povo Israel, e lançava a minha súplica perante a face do Senhor, meu Deus... o homem Gabriel, que eu tinha presenciado na minha visão ao princípio, veio rapidamente, voando, e me tocou à hora do sacrifício da tarde" (9:20,21). Resumindo, Daniel está dizendo: "Deus me tocou quando O busquei em oração fervorosa".

Daniel deixa claro: ele não conseguiu compreensão da palavra de Deus estudando junto aos eruditos; ele não conseguiu conhecimento quanto aos futuros acontecimentos a partir das instituições babilônicas. Ninguém poderia lhe ensinar como interpretar sonhos que haviam sido dados de modo sobrenatural. Daniel declara: "Falava ainda na oração... Ele... falou comigo, e disse: Daniel, agora saí para fazer-te entender o sentido" (9:21-22).

Simplificando, as orações de Daniel trouxeram uma palavra vinda do trono de Deus: "Então me disse: Não temas, Daniel, porque desde o primeiro dia, em que aplicaste o coração a compreender e a humilhar-te perante o teu Deus, foram ouvidas as tuas palavras; e por causa das tuas palavras é que eu vim... Agora vim para fazer-te entender o que há de suceder ao teu povo nos últimos dias" (10:12, 14).

Que tipo de prece Daniel havia feito para despertar tal visitação? As escrituras nos dizem que ele havia passado três semanas em total quebrantamento: "Naqueles dias eu, Daniel, pranteei durante três semanas. Manjar desejável não comi, nem carne nem vinho entraram na minha boca, nem me untei com óleo algum, até que passaram as três semanas inteiras" (10:2-3).

Daniel havia passado vinte e um dias se humilhando, chorando ajoelhado, corrigindo sua carne, dispondo o coração para receber compreensão divina. Ele não media suas sessões de oração pelo relógio. Ele estava fazendo uma declaração de guerra: "Senhor, não deixarei Tua presença enquanto eu não discernir o quê estás fazendo. Não importa o preço que eu tenha de pagar".

Uma outra coisa aconteceu com Daniel enquanto orava. Ele foi levado ao fim de sua habilidade de falar sob o ponto de vista humano. O Senhor agora tocava os lábios de Daniel para que ele pudesse falar como Seu oráculo. Ele diz ao servo: "Santifiquei a tua língua. Agora vou falar através de ti".

Toda pessoa que fale por Deus precisa ter a língua limpa e purificada. Aconteceu com Isaías e Jeremias. E agora Daniel testifica: "E eis que uma como semelhança dos filhos dos homens me tocou os lábios; então passei a falar... Então me tornou a tocar aquele semelhante a um homem, e me fortaleceu" (Daniel 10:16-18).

As experiências destes homens são exemplos para todos nós: Deus está procurando pessoas que queiram gastar o seu tempo para se trancarem com Ele. Pode-se dizer: "Não posso ficar horas orando. Tenho obrigações como todos". O próprio Daniel era um homem muito ocupado. Como proeminente funcionário do governo, tinha incríveis questões em seus dias. Mesmo assim Daniel dispôs o coração para buscar a Deus. E criou o seu melhor horário, todos os dias - três vezes por dia, na verdade - para orar. Deus lhe respondeu com uma visão impressionante: "Eu, Daniel, enfraqueci, e estive enfermo alguns dias; então me levantei e tratei dos negócios do rei. Espantava-me com a visão, e não havia quem a entendesse" (Daniel 8:27). Mesmo doente, ou durante seus negócios diários, Daniel buscava ao Senhor.

2. Daniel Sofre Pelo Declínio Espiritual da Sociedade e da Igreja

Existe uma atitude no coração até mesmo no crente mais jubiloso, que o leva à dor diante da mornidão da igreja, e do declínio moral de nosso país. Vemos isso na vida de Daniel.

Na ocasião, Daniel estava recebendo visões no meio da noite. Foi milagrosamente salvo da cova dos leões. O Senhor estava abençoando e prosperando tremendamente este homem. Porém, o tempo todo, Daniel nunca tirou da cabeça as coisas dolorosas que Deus estava lhe mostrando sobre Israel: "Quanto a mim, Daniel, o meu espírito foi alarmado dentro em mim, e as visões da minha cabeça me perturbaram" (Daniel 7:15). Mais e mais Daniel testifica: "Estas palavras divinas, estas visões do futuro, me perturbaram. Elas mexeram com a minha alma, e me fizeram chorar e lamentar".

Agora Deus revela a Daniel que estava prestes a arrancar todo o mal e lançá-lo fora. Ele iria esmagar as nações ímpias e destruí-las. O dia do juízo estava próximo, e o tempo acabando - no entanto, surpreendentemente, o povo de Deus estava alheio a tudo isso. Então Daniel começou a chorar devido à apatia e à depravação na casa de Deus.

Vejo uma cena parecida na casa de Deus hoje. Ministros e igrejas têm fechado o ouvido aos alertas proféticos. Recusam-se a ouvir ou a falar qualquer coisa que seja negativa. Em sua cabeça, está na hora de apenas se gozar a vida. No entanto muitas destas mesmas pessoas no passado experimentaram milagres. Pela oração trouxeram ao reino seus queridos que haviam se perdido; choraram diante da ruína moral da sociedade, e ansiosamente aguardavam a volta de Cristo. Mas agora têm a sua própria programação. Não vão gastar uma gota de energia chorando com Deus por causa de uma nação à morte, e de uma igreja morna. Como está nas escrituras: "Não vos afligis com a ruína de José" (Amós 6:6).

Quero lhe dizer o seguinte: Daniel recebeu o toque de Deus porque estava disposto a sofrer com o Senhor. Ele orava com fervor: "Senhor, o que está acontecendo? Tenho que entender esses tempos. Mostre-me, para que eu possa avisar o Teu povo". Ele não se preocupava em ser ridicularizado. Ele estava sendo consumido pelo zelo de conhecer o coração de Deus, e partilhar do Seu fardo e apreensão.

3. Deus Revela a Sua Palavra Aos Que Se Recusam a Ocultar ou Abrigar o Pecado

"Orei ao Senhor meu Deus, confessei, e disse: Ah! Senhor! Deus grande e temível, que guardas a aliança e a misericórdia para com os que te amam e guardam os teus mandamentos; temos pecado e cometido iniqüidades, procedemos perversamente, e fomos rebeldes, apartando-nos dos teus mandamentos e dos teus juízos" (Daniel 9:4-5).

Eis outra marca de alguém segundo o coração de Deus: ele se identifica com os pecados da igreja. Esse servo chora por santidade, tanto em si próprio como no povo de Deus. Uma igreja pode convidar para reuniões de oração regularmente, mas sem pureza a oração é totalmente ineficaz. A mensagem que Deus quer dar ao Seu povo deve vir de lábios que tenham sido purificados.

Desafio todo pastor, todo mestre, todo leigo: ganhe desespero pelo toque de Deus. Fique em comunhão com Ele, e permita que o Espírito Santo examine o seu coração. Ele irá lhe mostrar cada uma das coisas iníquas, rebeldes e pecaminosas escondidas em você. E tratará consigo em relação a cada área de desobediência.

Breve, você não irá mais tolerar hipocrisia ou concessões em si próprio. As suas orações se transformarão em choro em favor de santidade. Aí, toda vez que você vir pecado na casa de Deus, irá clamar: "Ó, Senhor, nós pecamos contra Ti". É assim que você saberá que Deus lhe tocou. Ele iniciou o trabalho divino de lhe transformar, lhe ungir novamente, e lhe preparar para uma obra maior.

Quero Compartilhar Com Você Uma Palavra Profética Que Deus Me Deu

Enquanto orava, fui impressionado pelo Espírito Santo com uma visão extraordinária: Deus tem trabalhado nos céus em uma operação oculta. Ele está levantando um exército-dentro-do-exército, avaliando Suas tropas de linha para formar uma unidade de elite feita de voluntários. Essa força especial é constituída de combatentes que Ele pode tocar e instigar para guerrear o inimigo. Vemos um retrato disso nas escrituras, com a milícia especial de Saul. A Bíblia diz: "E foi com ele uma tropa de homens cujos corações Deus tocara" (I Samuel 10:26).

As forças especiais de Deus de hoje incluem os jovens, os de meia idade, e até os idosos. Eles estiveram treinando em seus lugares secretos de oração. Muitos suportaram dores e sofrimentos quase além dos limites humanos, e de lá saíram limpos e purificados. A sua intimidade junto a Jesus durante todo esse período ensinou-os como lutar. Agora eles sabem como batalhar em qualquer plano espiritual, seja nas montanhas ou nos vales.

Essas forças especiais têm conseguido muitas vitórias através da oração - e agora são temidas no inferno. Um membro dessa unidade, em oração, em obediência, pode pôr mil soldados inimigos em fuga. Como Deus prometeu ao pequeno e leal exército de Josué: "Ninguém vos resistiu até ao dia de hoje. Um só homem dentre vós perseguirá a mil, pois o Senhor vosso Deus é quem peleja por vós, como já vos prometeu" (Josué 23:9-10).

Tenho ouvido a pregação de muitos soldados nessas forças especiais. Eles são leões de oração, contudo cordeiros em sua humildade - e não têm medo de expor tudo o que é da carne. A palavra que pregam é profunda na sua verdade, pureza e integridade. Alguns são jovens, tendo aprendido de Cristo rapidamente. Pregam a Sua palavra ousadamente, tanto na igreja como aos incrédulos. Outros soldados são ministros de meia-idade que já se cansaram da mornidão da igreja. Agora estão prontos para mostrar a uma nova geração como lutar.

Por anos, Satanás tem aterrorizado o povo de Deus. Mas durante todo este tempo, Deus vem treinando forças especiais, e está prestes a soltá-las dentro da igreja. Seu exército-dentro-do-exército está instituído em todas as nações. Sua atividade pode estar encoberta por enquanto, mas em breve vamos vê-lo fazendo proezas em nome e no poder de Cristo. Pois por trás das portas do lugar secreto de oração, o toque d’Ele está sobre servos orando, assim como foi com Daniel. A palavra de Deus virá deste toque, e a fome irá acabar. Deus Jeová prevalecerá. A Sua palavra conquistará todos!

Download PDF