Alvo da Inveja de Satanás | World Challenge

Alvo da Inveja de Satanás

David WilkersonMarch 19, 2007

Se você é um cristão que busca Deus de todo o coração, você é um alvo.

Esta mensagem é para os crentes que estão experimentando um período de sérias provações. Estou falando dos que suportam profundos sofrimentos e estão acabados mental, física e espiritualmente. Vivemos um tempo de grandes pressões em que sofrimentos podem cair sobre nós de repente e nos deixar aniquilados, esgotados e aturdidos.

Dou graças a Deus por todo cristão que exatamente agora esteja desfrutando de um momento de coisas boas. Sua vida não está sob grande pressão, e você não tem de enfrentar testes de provação ou dor profunda. Sou grato ao Senhor por conceder períodos assim na vida de Seus filhos.

Contudo sabemos das escrituras que tempestades e grandes sofrimentos vêm a todos que verdadeiramente deram tudo para Cristo: “Muitas são as aflições do justo” (Salmo 34:19). Além disso, se você tem fome do Senhor – se você está resolvido a buscá-Lo de todo coração, dispondo mente e alma para obedecer a Sua palavra – você continuamente será um alvo da inveja do Diabo.

Por séculos, grandes cristãos têm tentado investigar as causas e as razões pelas quais os piedosos sofrem. A minha biblioteca pessoal está cheia de livros assim. Mas as respostas parecem esquivas. Toda vez que estou em meio a uma dor profunda, acho difícil aplicar ao meu próprio coração angustiado algumas verdades que aprendi. Mas em vez de fazer isso, me vejo orando, “Senhor, preciso extrair da Tua palavra resposta em favor do que necessito agora”.

Para muitas pessoas que sofrem longas provações, as perguntas abundam por dentro: “Senhor, eu Te ofendi de alguma maneira? Há algo em minha vida que Te impede de ouvir minha voz? Então, por que este sofrimento sem fim? A Bíblia diz que Tu não permitirás que eu sofra mais do que eu possa suportar. Por que cheguei a este ponto?”.

Estou convencido de que as mais difíceis de todas as batalhas espirituais têm lugar na mente do crente. Muitos cristãos suportam tremendas angústias mentais, combatendo pensamentos que são opressivos, distantes de Cristo, assustadores. Eles não conseguem jogar fora lembranças deprimentes de faltas vindas do passado. E acabam sentindo-se indignos de comunhão ou das bênçãos com Deus.

Não tenho respostas a todas as razões pelas quais nós crentes sofremos tanto, mas realmente sei que uma coisa é certa.

Chega uma hora na vida de todo crente em que ele enfrenta uma escolha: ele pode permanecer morno na fé, ou ele pode cruzar a linha para seguir Jesus de todo o coração. Toda vez que escolhemos nos apropriar inteiramente de Cristo, nós agitamos as entranhas do inferno. E Satanás envia suas hordes demoníacas para liberar a ira do inferno em nossas vidas.

Uma pesquisa Barna revela que 70 porcento das pessoas que alegam terem nascido de novo não consideram o seu caminhar com Deus como a coisa mais importante de suas vidas. Isso é uma tragédia absoluta. Porém nos diz porque Satanás fica tão agitado pela pequena minoria que se coloca à parte para servir Jesus.

O Diabo reconhece algo em todo cristão consagrado – algo absolutamente destrutivo para o seu reino. Acontece quando um filho de Deus resolve confiar no Senhor em tudo, aproximando-se Dele a despeito de todas as dores e dificuldades. Satanás compreende que este cristão irá ganhar outros para Jesus, pela oração e por suportar grande sofrimento com fé intacta.

Quando Satanás vê este tipo de fé, ele sabe que os alicerces do inferno estão sendo abalados. Então ele ordena seus principados a abandonarem suas posições habituais perto de crentes frios, indiferentes e amantes dos prazeres. E os redireciona para buscarem todo cristão que tenha um coração abrasado e cujas ações mostram que ele está caminhando para a plenitude de Cristo.

Veja o apóstolo Paulo. Quando este zeloso perseguidor da igreja recebeu uma revelação de Cristo, ele dipos seu coração para jejuar e orar – e imediatamente se tornou um alvo preferencial da ira de Satanás. O Diabo não ficou só temeroso com o que a conversão de Paulo significaria para o seu trabalho na terra. Ele ficou ferozmente invejoso da revelação de Paulo quanto ao paraíso.

Veja, as escrituras dizem que Lúcifer fora expulso do céu, para fora da glória da presença de Deus. E desde então, o Diabo não pode suportar a idéia de que alguém “menor” que ele possa experimentar qualquer coisa do paraíso. Ele tem inveja absoluta de toda pessoa que é abençoada por contemplar aquilo que ele perdeu para a eternidade.

Paulo escreve, “E, para que nao me ensoberbecesse com a grandeza das revelações, foi-me posto um espírito na carne, mensageiro de Satanás, para me esbofetear” (2 Coríntios 12:7). Ora, Deus nunca iria liberar poder demoníaco em nenhum dos Seus servos. Apesar de Jó ter sido esbofeteado por Satanás, o Senhor colocou limite no poder do inimigo quando o afligia. Satanás pode nos atormentar, mas não pode destruir uma vida sequer.

Segundo Paulo, essa perseguição do inferno foi permitida por Deus em sua vida para manter o orgulho fora do seu coração. O Diabo designou este mensageiro para afligir a carne de Paulo, provocando nele dor física e mental. E Satanás instruiu o demônio a ser implacável em seu ataque: “Esbofeteie Paulo repetidamente. Bata nele um dia atrás do outro, sem parar”. Mas a inveja havia cegado os olhos de Satanás quanto a Paulo. O que o Diabo usou para tentar derrubá-lo – um bombardeio de ataques físicos e mentais – Deus transformou em bem para Paulo.

Certamente os poderes das trevas haviam acompanhado Saulo ao se dirigir a Damasco pelas estradas. Afinal, cá estava um servo de Satanás com reputação: um líder religioso zeloso, “temente a Deus”, que literalmente fazia a obra do Diabo. Saulo estava a caminho para arrebanhar cristãos e levá-los de volta a Jerusalém, onde seriam presos e torturados.

Mas quando Saulo foi derrubado do cavalo e recebeu uma visão de Cristo, ele imediatamente caiu sobre sua face, clamando, “Senhor Jesus, mostre-me o que fazer”. Ele se recusou a comer ou dormir por três dias, concentrando todo o seu ser no Senhor.

O quê você acha que aconteceu no inferno naquele momento? Todo o reino do Diabo entrou em ebulição. Vejo Satanás convocando reunião de emergência, onde indica um mensageiro especial para ser enviado à uma missão permanente: concentrar todas as armas do inferno contra Saulo. Satanás instrui o mensageiro dizendo “Vá atrás deste homem com toda a sua força. Você tem todo o arsenal do inferno à sua disposição. A tua única missão é destruir a fé de Saulo”.

Posso imaginar os tormentos que este demônio trouxe sobre Paulo: bombardeamento de mentiras, lembranças de todos os cristãos que ele torturou, recordações de toda coisa passada que ele cometeu contra o nome de Cristo. Do mesmo modo, Satanás faz a mesma coisa com todo crente que esteja em chamas para Cristo hoje. Ele envia principados malignos para pairar sobre as nossas vidas, e cochichar mentiras para nós com uma intenção: destruir a nossa fé.

Esta é uma razão pela qual o Diabo continuamente tenta derrubar os santos de Deus. Ele quer roubar deles o repouso, a intimidade, e a esperança do paraíso com o Senhor – em suma, todas as coisas que ele perdeu quando foi lançado fora do céu.

Recorde o seu caminhar com Deus. Talvez à certa altura você estivesse morno, e ansiasse mais Dele, desejando ardentemente que o usasse. Então você tomou a decisão de cruzar a linha para a devoção total a Jesus. De repente você se sentiu levado à oração como nunca antes, e os interesses de Deus se tornaram os seus interesses. Você pediu a Jesus para revitalizar o seu coração, lhe derramar o Seu Espírito, torná-lo um intercessor e lhe dar os fardos Dele.

Quero lhe dizer que esta foi a hora em que você se tornou um alvo da ira de Satanás. Você pode dizer, “Mas este período não durou muito tempo na minha vida. Eu não tenho mais aquele tipo de zelo. Vivo a maioria dos dias embaixo de uma nuvem de desespero”. Nada disso importa. Ainda agora a sua fé pode estar vacilante, prestes a entrar em colapso. Mas Satanás conhece essa verdade: há ainda uma centelha de fogo ardendo por baixo dos seus problemas. E enquanto estas brasas ardendo existirem, elas podem explodir em chamas incandescentes a qualquer momento.

É por isso que Satanás não lhe abandona. É por isso que você está sendo esbofeteado. Ele está resolvido a não permitir qualquer chance de o Espírito Santo reacender aquela chama sua. Por esta razão, Paulo alerta para não sermos ignorantes quanto aos ardis do Diabo: “Para que Satanás não alcance vantagem sobre nós, pois não lhe ignoramos os desígnios” (2 Coríntios 2:11). Se ignorarmos as táticas do inimigo, podemos permiti-lo ganhar um ponto de apoio, ou vantagem, sobre nós.

Alguns cristãos acham que não deveríamos nem mencionar o nome de Satanás, e que isso iria de algum modo glorificá-lo. Mas a Bíblia deixa claro que se aprendemos os artifícios do inimigo, não há razão para temê-lo. Em verdade, ela diz que nestes últimos dias, Satanás veio à terra com grande ira, então seria melhor conhecer a sua estratégia. Paulo escreve, “O próprio Satanás se transforma em anjo de luz. Não é muito, pois, que os seus próprios ministros se transformem em ministros de justiça” (11:14-15).

O alerta de Paulo aqui é claro como dia: Satanás usa pessoas ímpias como mensageiros da sua ira e inveja. E, de acordo com o apóstolo, tais pessoas têm se infiltrado na igreja. Você já viu estas pessoas? Você já se tornou alvo da ira delas, quando elas proferem palavras que cortam a sua alma, palavras que você sabia vinham direto dos lábios do Diabo?

Você é alvo da reprovação delas porque a sua fé e o seu zelo são repreensão ao estilo de vida delas, amantes dos prazeres. Em suma, as palavras delas são a inveja de Satanás em fúria contra você. Porém a luz do evangelho expõe toda obra das trevas, iluminando o povo de Deus aos enganos do inimigo.

“Por que estás abatida, ó minha alma? Por que te perturbas dentro de mim? Espera em Deus, pois ainda o louvarei, a ele, meu auxílio... Digo a Deus, minha rocha: por que te olvidaste de mim? Por que hei de andar eu lamentando sob a opressão dos meus inimigos?” (Salmo 42:5,9).

Quando Davi escreveu este salmo, o seu estado espiritual não era nem frio e nem morno. Na verdade, diz, ele suspirava por Deus e tinha sede de Deus (v. 42:1-2). Mas foi nesse tempo que Satanás enviou mensageiros para insultar e molestar Davi. E eles lançaram essa lancinante acusação na cara deste homem piedoso: “Davi, onde está o teu Deus?”.

Isso partiu o coração de Davi, levando-o a chorar. “As minhas lágrimas têm sido o meu alimento dia e noite, enquanto me dizem continuamente: O teu Deus, onde está?” (42:3). Note que a pergunta colocada para ele não foi, “Onde está Deus?” mas, “Onde está o seu Deus, Davi?”. Em outras palavras? “Onde está a prova do cuidado e do livramento de Deus para você?”.

Quando Davi escreveu isso, ele estava fugindo de seu filho Absalão. Ele recorreu à habitação em cavernas, e sofria angústia em todos os níveis - mental, físico e espiritual. A maior parte de Israel o havia rejeitado, inclusive alguns de seus amigos mais próximos. Davi fala da sua dor profunda em relação a isso, escrevendo, “Me dizem...” (Salmo 42:3). Mas, quem diz?

Às vezes Satanás acha pessoas para dizer coisas ofensivas e prejudiciais a nós. Mas principalmente, o inimigo usa seus poderes demoníacos enviando-os para abalar a nossa fé. Eles nos cochicham pensamentos sutis mas devastadores formulados pelo próprio Iníquo. E mesmo os mais piedosos dos crentes não são imunes a tais ataques. Tal foi o caso de Davi, que ouviu estas acusações: “Você não tem casa. A tua própria família te rejeitou. Você tem problemas de todos os tipos, Davi. Como você vai dizer que é ungido de Deus?”.

Igualmente, os mensageiros de Satanás injetam as mesmas acusações em nossas mentes hoje, levando-nos a perguntar: “Senhor, onde Tu estás nessa crise? Por que estou enfrentando este cálice de dor, com tantos ataques? E por que não ouves minhas orações? Clamo a Ti dia e noite, mas não ouço nada. As minhas lágrimas não Te significam nada?”.

Sabemos que Davi andava intimamente com o Senhor, confiando em Sua fidelidade. Era um homem de oração, que invocava o Senhor em todos os assuntos da vida. E a Bíblia diz que Deus estava com Davi por onde ele fosse, em tudo que fazia. Satanás deve ter invejado este homem, e as revelações que ele recebeu do céu, que são refletidas nos Salmos.

Não é supresa que Satanás tenha enviado um espírito maligno para possuir Saul, um rei contemporizador, que manifestaria o furor do inferno contra Davi: “Daquele dia em diante, Saul não via [invejava] a Davi com bons olhos” (I Samuel 18:9).

Não se engane: Satanás não se preocupava com as habilidades de luta de Davi, ou com seus talentos artísticos, ou com sua personalidade cativante. Nenhuma destas coisas em si eram ameaças para o seu reino das trevas. Antes, havia algo quanto à fé de Davi, quanto a seu relacionamento com o Pai, que fazia o inferno tremer. E isso tornou Davi “Alvo Número Um” aos olhos de Satanás. Este homem foi perseguido, zombado, e levado ao sofrimento por um motivo: ele andava perto de Deus.

A mesma coisa ocorre hoje com todo aquele que busca genuinamente a Deus. Satanás vê que o Senhor está com este crente, e que ele próprio é abandonado por Deus – e isso levanta a sua inveja em fúria. Na verdade, a inveja de Satanás está exposta através das explosões de ciúme de Saul: “Viu Saul e reconheceu que o Senhor era com Davi... Então, Saul temeu ainda mais a Davi e continuamente foi seu inimigo... Procurou Saul encravar a Davi na parede (com a lança)” (18:28-29, 19:10).

Note que, apesar de Saul se enfurecer com Davi, também tinha medo dele: “Saul temia a Davi, porque o Senhor era com este” (18:12). Eis um retrato claro de que o Diabo teme qualquer homem ou mulher de Deus que seja reto, de oração, confiante. Tiago exorta-nos com esta verdade, nos recordando de uma importante arma que nos foi dada: “Sujeitai-vos, portanto a Deus; mas resisti ao diabo, e ele fugirá de vós” (Tiago 4:7).

Satanás teme ainda que seja um pequeno exército dos que se cingem em fé para a luta. Ele se acovarda diante dos que estão em pé prontos para resistir. E porque ele teme você, o plano dele é neutralizar o seu espírito de luta.

O Diabo faz isso tentando inundar a sua mente com pensamentos derrotistas, que, vindos do inferno, distraem a atenção, e alimentam desconfiança e questionamentos quanto ao poder de Deus. Ele vai berrar na sua mente e no seu espírito: “Não adianta mais lutar. Você se enfraqueceu muito devido às suas lutas pessoais. Você jamais vencerá. Os poderes do inferno são grandes demais para se derrotar. Então, é melhor relaxar. Você não precisa mais ser tão intenso nessa luta”.

Amado, tudo isso é para desviar a atenção! Toda a estratégia de Satanás é fazer você tirar os olhos da vitória da cruz. Ele quer desviar o foco para a sua fraqueza, para os seus pecados, as suas deficiências – e é por isso que ele aumenta o calor e a pressão dos problemas e sofrimentos que você está vivendo agora. Ele quer que você creia não ser forte o suficiente para prosseguir. Mas a sua força não é o ponto; a força de Jesus é o ponto.

O fato é que todos nós vamos estar em luta até que morramos ou que Jesus volte. Podemos ter períodos de calmaria, de alívio. Mas enquanto estivermos nessa terra, estaremos envolvidos em guerra espiritual. E simplesmente não há fim para estas batalhas. É por isso que Paulo diz que Jesus nos deu armas que são poderosas para destruir fortalezas. Fomos equipados com armas que Satanás não pode resistir: oração, jejum e fé.

Alguns cristãos têm ficado tão focados na dor ou na provação, que se tornam confortáveis com isso. Quando encontramos tais crentes, a única coisa de que falam é da sua luta. Nunca se ouve uma menção à vitória que Cristo ganhou para eles.

Que nunca seja assim com o povo de Deus. Chegou o momento de nós descolarmos o foco das nossas aflições de agora. Temos de tirar os olhos das nossas provações e fixá-los no Capitão desta guerra. Jesus detém a chave para toda a vitória, e nos promete: “Eu te supro de todas as armas necessárias para a batalha. E estou pronto e desejoso de te dar força em momentos de fraqueza”.

Em Gênesis 15, Deus faz uma aliança gloriosa com Abraão. Ele instrui o patriarca a pegar uma novilha e uma cabra e cortá-las em duas. Aí Abraão deveria pegar uma rolinha e uma pomba e pô-las no chão, uma defronte da outra. Abraão fez como instruído, e enquanto estes animais sangravam, os abutres começavam a descer sobre os cadáveres. De repente, Abraão sentiu uma terrível escuridão lhe rodeando. O que era essa escuridão?

Era Satanás em pânico. Veja, o Diabo havia entreouvido a aliança que Deus estava fazendo com Abraão. O Senhor havia prometido tornar Abraão uma grande nação e abençoar a sua semente para sempre. Além disso, Deus promete dar a Abraão a terra de Canaã. Foi esta última promessa que atiçou a inveja de Satanás. Canaã era território do Diabo, uma terra de idólatras, o seu ponto de apoio demoníaco sobre a terra. E agora Deus estava dizendo que a semente de Abraão viria e a tomaria dele.

Amado, quando você entra em aliança com o Senhor, Ele diz coisas boas a você. Ele promete, “Vou te guardar para que não caias, e te apresentar irrepreensível diante do trono do Pai”. “Pelas quais nos têm sido doadas as suas preciosas e mui grandes promessas, para que por elas vos torneis coparticipantes da natureza divina, livrando-vos da corrupção das paixões que há no mundo” (2 Pedro 1:4).

Como você acha que Satanás reage quando ele vê tudo isso acontecendo na sua vida? Primeiro ele vê as gloriosas promessas da Nova Aliança tornado-se suas, quando você dá a sua vida a Jesus. Isso envia o Diabo a um ataque de ciúmes. E aí ele vê a sua firme resolução de prosseguir até o fim com o Senhor. A esta altura, só há uma reação possível para ele: o inferno inteiro entra em pânico!

Satanás reconhece que você confiou plenamente no “sacrifício de sangue” de Jesus para tratar com os seus desejos carnais e fazê-los morrer. E ele sabe que isso significa que o seu reino de trevas está agora sendo desafiado. Então ele envia abutres para tentar consumir o seu sacrifício. O que são tais abutres? São pensamentos gerados no inferno, que chegam para lhe atormentar e levá-lo a questionar a fidelidade de Cristo a você.

Tudo que é preciso para abalar os alicerces profundos do inferno é um cristão de oração e confiante. E se isso se aplica a você, então você pode estar sentindo os golpes dos abutres enviados por Satanás para lhe fazer vacilar.

Conheço muitos crentes consagrados que exatamente nesse momento estão guerreando contra uma profunda sensação de insegurança. Eles lutam diariamente contra um sentimento de inutilidade e desvalia. E ficam pensando, “Se eu fosse realmente fiel, eu não sofreria tantos problemas o tempo todo, não seria tão ineficiente no meu testemunho, nem estaria tão amarrado financeiramente”. Não, é tudo obra dos abutres do inferno, que vêm para roubar o sacrifício.

O quê Abraão fez quando os abutres chegaram? As escrituras dizem que ele os afugentou. Igualmente, o Senhor nos mostrou uma maneira de tratar com os abutres ameaçadores. Não precisamos ter medo dos ataques do Diabo, porque nos foram dadas poderosas armas de guerra.

Sempre que vozes de dúvida ou de questionamento sobre Deus chegam à minha mente, tenho de alinhá-las contra o que eu sei em relação ao meu amoroso Senhor. Não posso aceitar qualquer pensamento como verdadeiro, se é baseado simplesmente no que estou sentindo no momento. Eles têm de ser medidos em relação às promessas de Jesus para mim em relação a Si próprio, e à vitória que Ele conquistou para mim.

Simplificando, se me chegam pensamentos que são acusadores – se causam dúvida e medo, ou se são condenatórios, ou trazem um senso de rejeição – eu sei que eles não são de Deus. Nós todos temos de estar preparados para a chegada destes horríveis pensamentos. Mesmo o Senhor Jesus esteve sujeito a estes tipos de pensamentos vindos do inimigo durante as Suas tentações no deserto.

Tenho tido comunhão com alguns dos mais santificados servos de Deus na terra. Muitos deles me contam que após muito tempo de dedicada busca ao Senhor – de jejum durante dias, de dispor a mente e o coração nas coisas do Senhor – eles foram flagelados com dúvidas terríveis - mesmo quanto à própria existência de Deus.

Um profeta piedoso me confessou, “Recentemente fui assaltado por maus pensamentos. É a primeira vez em minha vida que isso aconteceu”. Mas o Espírito Santo assegurou a ele: “Se aquiete na fé. Estes pensamentos não são teus; são de Satanás. O Diabo quer te convencer do que você é tão mau quanto os pensamentos que ele manda. Ele quer derrubar a sua fé. Fique firme, e confie no Senhor. Você não vai afundar. Você está sob ataque porque você abalou as bases do inferno”.

Como Abraão, o meu amigo afugentou os abutres, usando a palavra de Deus em fé. Igualmente, Jesus resistiu às tentações de Satanás no deserto, e o Diabo o deixou por um tempo. Podemos saber que Deus fará o mesmo por nós, se nos mantivermos em fé, confiando em Suas promessas.

Então, prezado santo, quando abutres forem até você trazendo idéias de indignidade e insegurança, afugente-os com a palavra de Deus. O sacrifício que o Senhor lhe orientou a fazer é agradável a Ele, e Ele o honrará.

Aleluia!

Download PDF