Como Fazer o Que Não Conseguimos Fazer | World Challenge

Como Fazer o Que Não Conseguimos Fazer

Gary WilkersonJuly 7, 2014

A maioria de nós gostaria de ter a capacidade de fazer certas coisas na vida que não conseguimos. Estou falando de coisas que não são só difíceis, mas impossíveis. Vejo a garagem da minha casa como uma bagunça medonha, mas tenho capacidade de arrumá-la. Não preciso de fé em Deus para realizar esta tarefa.

Ultimamente tenho visto que as coisas mais importantes da vida para mim são as que não consigo fazer. Por exemplo, mesmo se eu juntar toda a minha força, toda a minha capacidade e recursos, não consigo levar a Cristo um filho pródigo meu. Posso orar por ele, jejuar dias e dias, compartilhar a Bíblia com ele, mesmo clamar pelo seu nome a Jesus todas as noites – mas não tenho poder para resolver o problema dele. Não há nada de mim que possa conseguir a sua volta para o Senhor.

Mesmo aos mais consagrados seguidores de Jesus é impossível acertar certas coisas. Mas efetivamente conhecemos Aquele que pode. A maravilha em relação à vida em Cristo é que chegamos a nos envolver em coisas impressionantes que não conseguiríamos sozinhos. O fato é que Jesus nos chama a participar com Ele na realização daquilo que não conseguimos fazer nós mesmos: ver nossos amados chegarem à fé, ver casamentos rompidos restaurados e curados, ver pessoas de nossa comunidade resgatadas de uma eternidade sem esperança. Através da fé em Jesus, chegamos a ver – e mesmo tomar parte em – tais coisas à medida que são alcançadas pelo Seu poder, majestade e autoridade.

O escritor aos Hebreus nos bombardeia com o conceito de fé

Hebreus 11 é o capítulo conhecido como “Galeria da Fé”, listando figuras bíblicas que agradaram a Deus através de grandes operações de fé. Desde Abraão, Sara, Davi até Samuel e Gideão e um conjunto de outros, vemos crentes elogiados não por seus talentos ou feitos, mas por confiarem em Deus para operar o que estava além da capacidade deles. Juntos eles compõem “uma multidão tão grande de homens de fé (Hebreus 12:1).

A expressão em itálicos nos diz que há uma vida “de fé” a ser vivida. E para atingir esta vida, somos instados a deixar de lado todo peso que impede uma fé confiante: “Desembaraçando-nos de todo peso” (12:1). O que são estes pesos, estes obstáculos para a fé? Conheço muitos cristãos que são oprimidos pela incredulidade. Ao avaliarem a situação, eles pensam assim, “O que eu preciso nunca vai ser atendido. Orei sem cessar. Pedi que outros orassem por mim, incluindo presbíteros, mas a resposta nunca chega. Nada que eu tente funciona”.

O problema de muitos é que olham para a situação mais do que para o Deus que controla todas as situações. A fé acaba paralisada por um “peso... que tenazmente nos assedia” (12:1). Posso lhe assegurar: o que Deus prometeu não pode ser frustrado. Toda palavra que Ele envia acabará sendo cumprida. Satanás sabe disso, e tudo que pode fazer é tentar retardar os propósitos de Deus nos convencendo a atolar no lamaçal das dificuldades. Se a situação parece desesperadora, a vida de fé lhe chama a crer: “Um dia Deus cumprirá o que sou incapaz de enxergar agora”.

Também somos dificultados pelo “pecado que tenazmente nos assedia” (12:1). Ao corrermos a carreira da fé a despeito das dificuldades, o inimigo enfia o pé para tropeçarmos. Isso muitas vezes acontece depois de nosso maior período de vitórias. Um momento a gente acha: “Deus está se movendo! Agora verei a promessa se cumprindo”; mas aí a situação vai para o lado oposto, fazendo tropeçar a nossa fé. E ficamos pensando, “Senhor, pensei que este seria o meu grande avanço. Mas agora a coisa está pior do que antes”.

Então, onde está a esperança? A encontramos no versículo: “Corramos com perseverança a carreira que nos está proposta” (12:1). Apesar de que as circunstâncias nos levem a duvidar, e facilmente tropecemos pelo pecado, a carreira na qual estamos trata de perseverança. Aprendemos que “Fazemos isso fixando os olhos em Jesus” (v. Hebreus 12:2). A nossa corrida não trata de acumular fé o suficiente; não podemos acumular nada por nós mesmos. Temos é de olhar para Jesus para Ele nos suprir com fé, pois Ele é o “Autor... da fé” (12:2).

Que coisa maravilhosa: Cristo inicia a fé em nosso coração! Muito antes de nos ter chamado para correr nossa carreira em particular, o pensamento estava na mente Dele: “Quero isso feito”. Então Ele iniciou a fé em nós, e nos colocou numa carreira para ver Seu propósito cumprido.

Diga, o que aconteceu com a fé que Deus iniciou em seu coração? Você sente que ela morreu? Você está cansado depois de tropeçar tantas vezes? Amigo, não se desespere. Deus prometeu iniciar a fé em você, e isso inclui reacender a fé que você conheceu. “E, assim, a fé vem pela pregação, e a pregação, pela palavra de Cristo” (Romanos 10:17).

Se a sua promessa não foi cumprida, você pode confiar que Deus está em ação “aperfeiçoando a sua fé”

“O Autor e Consumador da fé” (Hebreus 12:2). Há muitas coisas pelas quais eu espero com toda sinceridade, mas algumas não são iniciadas por Deus. Por exemplo, espero de todo coração que a nossa igreja em Colorado Springs tenha influência em ver dezenas de milhares de pessoas vindo a Cristo nas próximas décadas. Deus não me prometeu isso, mas ainda espero e oro para que Ele rompa os céus levando os perdidos para Seus braços de amor.

Todos temos de ter cuidado quanto a pegar nossas esperanças e torná-las em promessas. Apenas podemos ter segurança de algo ser uma promessa de Deus, quando ela é confirmada através das Escrituras, da oração e às vezes através de outros cristãos.

Você pode dizer, “Recebi uma palavra segura de Deus de que Ele iria salvar o meu casamento, mas isso não aconteceu”. Sou cauteloso quanto a dizer isso a qualquer pessoa que tenha passado por tamanha devastação: talvez o quê você ouvisse não tenha sido uma promessa de Deus a você, mas o desejo sincero e esperançoso do seu próprio coração. Você consegue se permitir tal misericórdia em sua situação?

Não entenda mal: ninguém jamais errou em querer que seu casamento dure. Mas Deus jamais falhou em cumprir uma promessa que faz. Ele não é 99 por cento fiel; Ele é 100 por cento fiel. Ele nunca falhou, nunca mentiu, nunca se expressou mal. E a verdade é que todos somos vulneráveis à tragédia em um mundo rompido pelo pecado.

Também é possível que ouçamos a voz de nossas próprias ambições e desejos. Podemos ter esperança de certas coisas, incluindo as boas, e contudo, como Tiago diz, Deus não nos dará tais pedidos porque nasceram de nossas próprias aspirações e da carne.

Em lugar disso, Deus aperfeiçoa a nossa fé afastando tais coisas. Falando como homem de meia idade, estou muito feliz por Deus fazer isso. Há muitas coisas que eu queria quando eu tinha trinta anos, das quais me alegro por Ele nunca ter dado. Em Sua misericórdia Deus viu o que eu necessitava, e não permitiu as coisas que eu queria. Dessa maneira aperfeiçoando a nossa fé, começam a crescer em nossos corações os desejos dos quais Ele é Autor e iniciador (tais coisas nascem Dele e não de nós).

“Fé é a certeza de cousas que se esperam” (11:1). À medida que Deus purifica a fé, a nossa certeza se constrói. Crescemos em discernimento, e dizemos “Ah sim, isso é a palavra de Deus, e esta outra palavra não é. Ele está confirmando a promessa Dele para mim – através das Escrituras, da oração e do testemunho dos meus irmãos e irmãs”. A fé começa a resolver a questão dentro de nós, tal que como diz Hebreus 11:1, temos “a certeza de cousas que se esperam, a convicção de fatos que se não veem”.

Este tipo de fé foi aperfeiçoado nas pessoas relacionadas na Galeria da Fé. De acordo com este capítulo, Deus elogia Abel não por seu meritório sacrifício de adoração, mas por sua fé. Noé não é elogiado por ser um pregador da justiça, mas por sua fé. Moisés não é elogiado por ser um libertador arrojado, mas por sua fé.

Colocando de maneira muito simples, o quê agrada a Deus é fé. Por quê? É porque nada pode ser levado a cabo no Seu reino a não ser através da fé. É por isso que algumas das pessoas mais quietas muitas vezes são os evangelistas mais poderosamente eficazes. Eles ganham pessoas para Jesus não por algo em sua carne, mas porque creem em Jesus para fazer o que Ele prometeu.

Sempre que Deus nos dá uma promessa, Ele primeiro tem de fazê-la morrer em nossa carne

Para ter o tipo de fé que agrada a Deus, muitas vezes temos de ser levados através das experiências mais frustrantes, irritantes e vividas a pulso. Talvez você tenha chegado ao ponto de clamar, “Senhor, Tu me deste uma promessa, mas agora tiraste tudo que eu precisava para tornar esta promessa possível”.

Por que Deus faz isso? Por que Ele remove todos os meios naturais através dos quais a Sua promessa poderia ser cumprida? Muitas vezes, é porque assim a nossa relação com Ele vai ser prazerosa em vez de obediente. Veja, se as promessas Dele pudessem ser atendidas por meio da nossa capacidade, estaríamos como que num piloto automático 24 horas por dia, sem parar. Esse não é o caminho Dele. Ao invés disso, Ele nos pede uma relação permanente, que requer a confiança do nosso coração inteiro.

É assim que a grande nuvem de testemunhas diante de nós chegou à Galeria da Fé. As Escrituras dizem que quando Deus prometeu tornar Abraão o pai de todas as nações, Abraão levou “em conta o seu próprio corpo amortecido” (Romanos 4:19). Esta expressão “levar em conta” é um termo matemático. Abraão percebeu que nada em sua vida poderia ser “somado” para ver essa promessa cumprida. Nada em seu poder poderia fazer isso funcionar. E, contudo, lemos que Abraão “não duvidou, por incredulidade, da promessa de Deus; mas, pela fé, se fortaleceu” (4:20).

Eis aqui um retrato de Jesus iniciando e aperfeiçoando (“Autor e Consumador”) a fé de um homem piedoso. Quanto mais Abraão calculava que “Não vou conseguir”, mais forte se tornava a sua fé na capacidade de Deus. E através da morte da sua carne veio um poder que não era de si próprio. Era o poder do Espírito Santo.

Quero ver o meu filho voltando para o Senhor. Para ver isso acontecendo, ponho a minha fé no poder de Deus para atraí-lo com Seu imenso amor. (Estou feliz em informar que desde que esta mensagem foi pregada, meu filho pródigo foi gloriosamente reconciliado com Deus e com a Sua família.) Eu ainda quero ver milhares de perdidos de nossa cidade vindo para Jesus. No entanto, sei que isso nunca vai acontecer pela elaboração de estratégias, planejamentos ou efetivação de programas. Estas coisas podem ser úteis à certa altura, mas somente Jesus pode iniciar qualquer coisa para o Seu reino. Somente Ele pode aperfeiçoar em nós a fé confiante necessária para ver multidões de almas sendo levadas à vida eterna.

Sim, somos chamados para fazer as coisas que podemos pelo reino de Cristo. Mas somos também chamados para mais. Você quer ver os propósitos de Deus sendo realizados na sua comunidade, as promessas Dele cumpridas na sua vida? Ele pede apenas que você confie Nele vivendo uma vida de fé. Ele vai fazer o que está muito além da sua capacidade, pois só Ele pode fazer isso!

Download PDF