EU TE DAREI DESCANSO | World Challenge

EU TE DAREI DESCANSO

David Wilkerson (1931-2011)October 19, 2020

A Cura De Deus Para O Medo, A Culpa E A Condenação

Deus prometeu a seu povo um descanso glorioso e incompreensível, uma paz e segurança para a alma. Quando o Senhor ofereceu este maravilhoso descanso aos filhos de Israel, isso significou uma vida cheia de alegria e vitória, sem medo, culpa ou condenação. Esse mesmo descanso está disponível para todas as pessoas em todas as gerações.

Até a época de Cristo, entretanto, nenhuma geração de crentes jamais caminhou plenamente nesta promessa de descanso abençoado. Como a Bíblia deixa bem claro, eles nunca o obtiveram por causa de sua descrença. “Não puderam entrar por causa da incredulidade” (Hebreus 3:19, NKJV).

Por causa de sua incredulidade, o povo de Deus passou pela vida cheio de miséria, dúvida e inquietação, desde o período dos reis e profetas até a geração de Davi e além. Eles deixaram esta vida gloriosa sem ser reivindicada, apropriada e aproveitada. “Resta, pois, um descanso para o povo de Deus” (4:9).

Esta mesma passagem de Hebreus nos diz: “Alguns devem entrar” (4:6). Isso se destina aos cristãos de hoje, advertindo-nos: “Portanto, visto que permanece a promessa de entrar no Seu descanso, temamos que algum de vós pareça ter falhado” (4:1).

Milhares afirmam estar cheios do Espírito de Deus, mas ainda estão inquietos e carregados de culpa, sem nenhuma segurança em Cristo.

Enquanto os cristãos em dificuldades estiverem perto de amigos crentes e tudo estiver bem, eles podem falar com confiança sobre como andar em vitória. Então, quando o inimigo sopra seus ventos ferozes de provações sobre eles, eles são empurrados e puxados, lançados ao chão sem forças para resistir. Eles se desintegram completamente, eliminados pela adversidade.

Cristo está nos dizendo: “Não tente dar uma volta comigo até que você esteja em descanso em sua alma”. “Vinde a mim, todos vós que estais cansados e oprimidos, e eu vos darei descanso. Tome meu jugo sobre vós e aprenda comigo, pois sou manso e humilde de coração, e encontrarás descanso para as vossas almas. Porque o meu jugo é suave e o meu fardo é leve” (Mateus 11:28-30).

Acredito que a chave para nós está na frase de Jesus: “Aprenda de mim”. Ele está nos dizendo: “Assim que você aprender o que fiz por você na cruz, sua alma descansará. Então você pode assumir meu jugo e fardo, que são leves e fáceis”.

Como podemos aprender dele para que possamos entrar em seu descanso? A melhor maneira é conhecer a doutrina bíblica da justificação pela fé. Essa única verdade acaba com todos os ataques de insegurança.

Duas coisas estão envolvidas em nossa justificação. Primeiro, a obra de Cristo na cruz consegue por nós o perdão de todos os pecados, limpando-nos de toda a culpa e iniquidade. Segundo, somos aceitos por Deus como justos em Cristo por meio da fé. Isso significa que Deus nos aceita não por causa de nossas obras ou quaisquer boas ações, mas pelos méritos do que Jesus fez na cruz. “Quem intentará acusação contra os eleitos de Deus? É Deus quem justifica” (Romanos 8:33).

No entanto, quando pecamos, somos acusados por duas forças poderosas. O primeiro é Satanás, a quem a Bíblia chama de “o acusador de nossos irmãos, que os acusava diante de nosso Deus dia e noite” (Apocalipse 12:10). O diabo está diante do Pai celestial, acusando-nos de cada nova falha e exigindo: “Deus, se Tu és santo, farás algo a respeito. Tu tens que condená-lo ao mesmo inferno que me condenaste por meu orgulho”.

A segunda força poderosa que nos acusa é a nossa própria consciência. “Também a sua consciência dá testemunho, e entre eles os seus pensamentos acusando-os ou desculpando-os” (Romanos 2:15). Estamos diante de Deus com a cabeça baixa porque nossa consciência nos permite saber: “Eu sou culpado diante de Deus”.

Deus não nega nossa culpa porque ele não pode mentir. Ele nunca nos vê como inocentes porque somos claramente culpados diante dele, presos na teia do pecado. Na verdade, nossa justificativa não tem nada a ver com sermos inocentes. Quando somos perdoados por Deus por causa da cruz, é como infratores da lei. Ele nunca nos vindica, mas em vez disso nos perdoa, perdoando nossos pecados somente por sua graça e misericórdia.

“Eu, eu mesmo, sou aquele que apago as tuas transgressões por amor a mim; e não me lembrarei dos seus pecados” (Isaías 43:25). “Jogaste todos os meus pecados para trás das tuas costas” (38:17). “Tu lançarás todos os nossos pecados nas profundezas do mar” (Miquéias 7:19).

O perdão que Deus nos dá é completamente imerecido.

Por causa de nossos pecados, merecemos julgamento e condenação. Mesmo assim, aí vem nosso advogado, nosso defensor, estendendo suas mãos com cicatrizes de pregos para o tribunal.

Ele sorri e sussurra para nós: “Não tenha medo, pois nenhuma dessas acusações será válida. Você sairá deste tribunal livre e totalmente perdoado. Quando eu terminar, seu acusador não terá mais nenhuma acusação contra você”.

Ainda há uma questão de justiça para resolver. E as verdadeiras acusações contra nós?

Ouvimos com admiração absoluta enquanto nosso advogado defende nosso caso. “Juiz, Tu sabes que eu cumpri a lei, vivendo uma vida sem pecado. Então eu tomei o lugar dessa pessoa, assumindo toda a punição por seus crimes. Através dessas mãos com cicatrizes de pregos e do meu lado perfurado, o sangue jorrou para apagar todas as suas transgressões. Todas essas acusações e cobranças que Tu ouvistes hoje foram colocadas totalmente nas minhas costas. Eu paguei a pena por cada um deles”.

“Satanás, acusador, você não tem motivos para acusar meu cliente. Cada um de seus pecados foi colocado sobre mim, e eu perdoei totalmente todos eles. Eles não são culpados porque sua fé na vitória de meu sacrifício lhes dá perdão total e completo. Você não tem caso. Meu cliente está livre”.

Enquanto o diabo foge do tribunal de Deus, você pode ouvir o bendito Senhor clamar: “Quem intentará acusação contra os eleitos de Deus? É Deus quem justifica” (Romanos 8:33).

A segunda parte da nossa justificação é a nossa aceitação no amado de Deus.

“Fostes lavados, santificados e justificados em nome do Senhor Jesus e pelo Espírito do nosso Deus” (1 Coríntios 6:11). As pessoas para as quais Paulo escreve aqui foram salvas de pecados horríveis. Como eles se tornaram justos diante de Deus? O que aconteceu para que eles não fossem mais maus, mas sim plena e amorosamente aceitos pelo Senhor?

A segunda parte de nossa justificativa explica isso. Quando Jesus foi para a cruz, ele crucificou nosso “velho homem”. Agora aquele velho homem da nossa carne foi apagado aos olhos de Deus. Em vez disso, resta apenas um homem, aquele com quem Deus tratará, e que é seu próprio Filho.

Quando Jesus terminou sua obra na terra e foi colocado à destra do Pai, Deus disse: “De agora em diante, reconheço apenas um como justo. Quem vem a mim deve passar por ele, meu filho. Todos os que desejam ser justos devem aceitar sua justiça e nenhuma outra”. Somos aceitos aos olhos de Deus apenas pela fé em Cristo e em sua obra. “Ele nos aceita no Amado” (Efésios 1: 6).

Você percebe como é importante permanecer em Jesus, vir a ele rapidamente sempre que você falha? Você deve aprender a correr para ele, chorando: “Jesus, eu falhei contigo. Eu não consigo resolver isso. Não importa o que eu faça, nunca poderei ser reconhecido diante do Pai, exceto quando for até ele em Ti. Meu único apelo é o seu sangue”.

A única coisa que temos para nos orgulhar é Jesus e sua grande obra por nós.

“Mas vós sois dele, em Cristo Jesus, o qual se tornou para nós sabedoria de Deus – e justiça, santificação e redenção – a fim de que, como está escrito: ‘Aquele que se glória, glorie-se no Senhor’” (1 Coríntios 1: 30-31).

A justificação pela fé é a coisa mais humilhante do mundo. É difícil ver que Deus não aceita nossa carne, que devemos deixar de lado nossos constantes esforços e descansar na obediência de Jesus. Na verdade, devemos aprender a depender totalmente de Cristo para termos todo poder para obedecer.

Nosso velho homem está morto, e o novo homem em nós é Jesus. Quando colocamos nossa fé nele, Deus nos aceita totalmente. Ele nos considera justos, escondidos no seio de seu querido Filho. Portanto, sempre que você pecar ou falhar, corra rapidamente para o seu advogado, seu defensor. Confesse suas falhas a ele e descanse em sua justiça.

Uma vez que você perceber o que Jesus realizou na cruz, você odiará o pecado mais do que nunca. Você começará a obedecê-lo, a orar a ele e a ansiar por ele com alegria, porque ele tem te fixado na rocha sólida de sua graça. Então você pode dizer: “Quem pode me acusar agora? Cristo me justificou. Eu descanso nele como minha justiça”.

“Se alguém pecar, temos um advogado junto ao Pai, Jesus Cristo, o Justo” (1 João 2:1). Você tem um advogado; corra para ele agora. Deixe que ele pleiteie sua causa e entre em seu descanso pela fé em sua obra maravilhosa em seu favor.

Download PDF

DAILY ENCOURAGEMENT IN YOUR INBOX

Sign up now to receive our Daily Devotional or E-newsletter.

SUBSCRIBE