Fé Louca | World Challenge

Fé Louca

Gary WilkersonDecember 17, 2012

Você sente que Deus está prestes a desencadear algo tremendo em sua vida? Será que Ele diz ao seu coração, “Preparei algo especial para ti. Você está prestes a entrar em um caminhar comigo que você nunca conheceu antes”? Talvez a sua vida já tenha sido grandemente abençoada por Deus. Agora o Espírito Santo está dizendo que Sua promessa de longa data está prestes a chegar à plena realização – e que ela lhe surpreenderá.

Se isso descreve você nesse exato momento, posso lhe dizer com a autoridade das escrituras: prepare-se para examinar o seu coração.

Essa parte a seguir é o que chamo experimentar “fé louca”. Fé louca é acreditar que não importa o quão boas as coisas estejam, o melhor está por vir. É uma fé que diz, “Por mais que sonhemos e façamos coisas grandes pelo reino de Deus, a visão dEle é sempre maior”. O que o Senhor tem feito na breve existência da igreja que pastoreio excedeu as minhas expectativas mais otimistas. Não passa uma semana sem que alguém entregue sua vida a Jesus – e na maioria das semanas são várias pessoas. Sempre quando distribuímos alimentos aos pobres, muitos deles perguntam, “Por que vocês estão fazendo isso?”. Respondemos: “É Jesus”, e eles dão suas vidas a Ele.

Está tudo acontecendo milagrosamente. No período de três anos a nossa igreja cresceu de três casais para quase 1500 pessoas aos domingos. Novos crentes estão rapidamente amadurecendo em fiéis discípulos, aumentando seu conhecimento de Deus. Eles estão bem a caminho de nosso objetivo final para eles: se tornarem missionários radicalmente consagrados a Jesus, onde quer que Ele possa levá-los.

Deus não está apenas superando nossas expectativas; Ele está nos mostrando quais são as Suas expectativas, e é incrível ver isso. Só em nossa região há ainda um quarto de milhão de pessoas que não conhecem Cristo, e no ano passado o Senhor nos motivou a plantar duas novas igrejas aqui, uma delas em uma área problemática da cidade. Estou simplesmente perplexo pelas grandes obras de Deus. Eis a parte mais louca de todas: creio que coisas maiores ainda virão. Estou convencido de que Deus se revelará ainda mais poderosamente – não apenas em salvações, no evangelismo, na ajuda aos pobres, no impacto sobre a cidade, mas em kabad. Essa é a palavra hebraica para “a densidade de Deus, Sua presença maciça, gloriosa”. Soa incrível, não é? Claro que sim. Mas agora vem a parte dura.

É exatamente a está altura que Deus pede que Seu povo examine o coração

Deus está por trás de toda obra gloriosa, e Ele não vai dividir Sua glória. Ele não permitirá que coisa alguma obstrua o caminho do fulgurante brilho de Seu Filho. Para esse fim, Ele necessita vasos limpos para fazerem Sua obra. Então bem no auge quando as bênçãos e o poder estão fluindo livremente através de Seu povo, Ele diz, “Façam uma pausa agora e se ponham em ritmo de espera. Quero que vocês examinem seus corações”.

Essa é a palavra que senti que Deus queria que eu pregasse quando nossa igreja há pouco celebrou o terceiro aniversário. Você pode imaginar a minha hesitação. Imaginei a igreja inteira olhando para mim intrigada e pensando, “Bem – você diz que estamos bem, mas aí você vem e diz que temos de mudar”. Seria como o marido levar a esposa para jantar fora no aniversário de casamento e dizer, “Querida, estou querendo falar contigo a respeito desse teu aumento de peso”.

Não é bem assim quando Deus pede que nos examinemos. Afinal, todos sabemos que nossa justiça é como trapos de imundície, que precisamos de Sua graça. Mas o fato é que bem quando estamos na iminência da maior operação de Deus em nossas vidas, Ele manda que reflitamos sobre estas questões: “Há algo em meu coração que está desagradando ao Senhor? Fui negligente em relação a algo que Ele me pediu? Não quero que nada na minha vida impeça o que Deus deseja fazer”.

Deus sempre leva o Seu povo a este ponto. Por quê? Antes de Deus trazer o Seu melhor, Ele tem de operar algo profundo em nós. Ele quer nos dar a vitória, mas também quer nossa total consagração a Ele.

Os primeiros seis capítulos de Josué descrevem a gloriosa obra que Deus operou em meio ao povo durante alguns anos. Israel havia acabado de ser liberto após 400 anos de cativeiro. Haviam emergido de 40 anos de peregrinação no deserto. E depois de tudo isso Deus os abençoara. Agora estavam à beira de Canaã, a terra onde fluía leite e mel e prometida por Ele anos antes. Eles então atravessaram as fronteiras – e o que aconteceu? Imediatamente Josué voltou-se para a geração mais jovem de homens e os separou para Deus. As escrituras usam a palavra “circuncidados” para descrever sua preparação, mas o sentido mais profundo é “Eles se prepararam”.

Por que Josué fez isso? Agora que haviam atravessado a linha, enfrentam as espessas e impenetráveis muralhas de Jericó. Tomar este inimigo seria impossível para os desordenados israelitas. Contudo Deus estava lhes dizendo, “Vos tenho abençoado nestes últimos anos. Vocês têm experimentado Minhas bênçãos incríveis. Mas a sua obra ainda não acabou”.

Como os israelitas se prepararam para esta batalha? Eles não afiaram as espadas e nem deram lustro nas armaduras. Antes, a preparação ocorreu em seus corações. Deus os ordena que circundem a cidade cantando, orando e esperando por Ele. Finalmente, Ele fez com que elevassem trombetas e emitissem um único sopro. Em um instante, as poderosas muralhas ruíram.

Josué e seus homens então executaram grandes proezas, derrotando os inimigos, herdando terras maiores e vendo vitórias como nunca. Em verdade Josué fez algo que nem mesmo Moisés conseguira: ele derrota trinta e um reis. Isso é dez vezes mais do que os reis derrotados por Moisés. Creio que isso é um retrato daquilo que o Senhor quer fazer em todas as nossas vidas. Ele quer aumentar dez vezes, derramar o Espírito de maneiras tremendas, que creiamos que Ele quer fazer tudo isso. Em resumo, Ele quer que possuamos uma fé louca.

Algo aconteceu em meio a essa grande vitória, e teve de ser tratado

No capítulo 7, o Senhor avisa Israel para não tomar nenhum despojo dos inimigos que haviam derrotado. Por que essa proibição? Deus queria que os olhos se fixassem nas coisas do alto, não na “cousa roubada” (bens materiais que iriam murchar como a erva).

 Mas um homem, Acã, decidiu pegar algumas coisas para si. “Quando vi entre os despojos uma boa capa babilônica, e duzentos siclos de prata, e uma barra de ouro do peso de cinquenta siclos, cobicei-os e tomei-os” (Josué 7:21). Não era muito, na verdade – apenas um belo casaco e um punhado de prata e ouro. Mas é sempre em pequenas coisas que Deus põe Seu dedo. Por quê? Ele sabe que uma coisa pequena pode impedir o cumprimento de todo o futuro dEle para nós.

Você tem sido negligente com alguma coisa – algo que poderia segurar o melhor de Deus para você? Para muitos de nós, seriam coisas razoáveis; poderia ser o desejo de segurar o dinheiro na poupança, que o Senhor queria que déssemos. Seria nos agarrar a uma carreira valorizada, a qual nos tira da família. Como Acã, podemos nos amarrar a algo “insignificante” sem considerar o que ela faz aos nossos corações.

O nosso Deus deseja fazer coisas poderosas entre nós. Ele quer expressar Seu amor ao mundo através de nós. Então, se nos apegamos a uma coisa que fica no caminho daquilo que Ele deseja realizar – alguma teimosia nossa, alguma recusa em confiar nEle para tudo – Ele nos mostra isso.

Porém algumas vezes Deus deseja que acrescentemos algo à nossas vidas antes de Ele trazer o Seu melhor. Isso pode envolver alguma coisa que deixamos de fazer. E Ele então quer que nos perguntemos, “Será que fui lento em responder a algo que Deus me pediu para fazer?”.

Encontramos um exemplo em Atos, quando os discípulos acrescentaram um novo membro para substituir Judas. Enquanto estavam no cenáculo, eles fizeram um sorteio e escolheram Matias. Parecia algo pequeno; estes mesmos homens haviam visto Jesus operando maravilhas, abrindo os olhos aos cegos, expulsando demônios, e até levantando um homem dos mortos. Haviam visto o reino de Deus avançando na terra como nunca na história. E quando Cristo ascendeu aos céus, Ele lhes deu esta incrível palavra: “Coisas maiores vocês farão, assim que enviar-vos o Meu Espírito. Ele vos capacitará. Grandes coisas virão!”.

Na verdade, estes mesmos discípulos iriam além de Israel e do Oriente Médio, para a Europa, Índia, África, pregando as boas novas de Cristo às nações, tudo em sua geração. O que tornava tão importante agora acrescentar um novo discípulo? O fizeram por um motivo: Pedro sentiu que isso era algo que Deus queria que fizessem.

“Naqueles dias, levantou-se Pedro no meio dos irmãos... e disse: Irmãos, convinha que se cumprisse a Escritura que o Espírito Santo proferiu anteriormente por boca de Davi, acerca de Judas... porque ele era contado entre nós e teve parte neste ministério... Porque está escrito no Livro dos Salmos: Fique deserta a sua morada; e não haja quem nela habite; e: Tome outro o seu encargo. É necessário, pois, que, dos homens que nos acompanharam todo o tempo que o Senhor Jesus andou entre nós... um destes se torne testemunha conosco da sua ressurreição” (Atos 1: 15-17; 20-22).

Há uma grande lição aqui para a igreja de Cristo hoje. Ou seja, nunca deixe de examinar uma questão que esteja incomodando o coração, por menor que seja. Deus põe o dedo nessas questões por um motivo: para revelar a reação do nosso coração a Ele.

Como pastor, fico perturbado quando vejo pessoas em nossa igreja não enfrentando os problemas em suas vidas. Quando pergunto a alguns deles como estão indo, eles respondem, “Glória a Deus, Ele está me abençoando”. Mas sei que seu filho adolescente tinha acabado de ser preso. Ou há um problema com o cônjuge. Ou estão terrivelmente indiferentes a alguém da igreja.

Sim, Deus tem coisas maiores guardadas para nós. Mas não podemos entrar nelas enquanto não tratarmos das questões de nosso coração primeiro. A sua questão pode ser pequena, mas aos olhos de Deus, é coisa importante no momento. Sem abordá-la, não haverá o futuro de andar no melhor dEle. Deus sempre quer tudo em ordem antes de abrir a porta para o próximo surpreendente estágio de Sua obra. E o que os discípulos viram acontecendo naquela mesma hora foi verdadeiramente surpreendente: três mil pessoas foram convertidas.

Em cima do quê Deus está pondo o dedo em sua vida? Seria retirar algo pequeno? Ou acrescentar algo que você negligenciou? Não atrase sua resposta à fiel voz do Espírito. Lidar com uma coisa pequena pode determinar todo o seu futuro. Vai examiná-la? Se for assim, você pode saber que o melhor de Deus está à frente – e você agradou Aquele que lhe quer abençoar.

Download PDF