Jesus Continua Fazendo Isso | World Challenge

Jesus Continua Fazendo Isso

Gary Wilkerson
April 14, 2014

Você enfrenta uma crise que está lhe levando a orar de joelhos? Talvez você esteja precisando de cura física. Talvez o aperto seja financeiro. O seu casamento pode estar no limite. Será que a provação já dura tanto, que o seu espírito caiu no desânimo?

Multidões de cristãos enfrentam situações excruciantes que saíram de controle, e agora parece não haver mais esperança. Eles esgotaram suas forças e o emocional tentando remediar a crise, sem conseguir. Eles foram em frente achando que Deus iria cuidar de suas necessidades, mas a situação foi de mal a pior. Quanto mais oram, mais longe Deus parece estar. Agora acham que Deus não dá mais atenção.

Se isso descreve você, quero lhe encorajar: não desista – Jesus está perto de você. Ele deseja não apenas cuidar da sua necessidade, como também lhe dar um impulso de fé. Não importa quão desesperadora a situação pareça, Ele quer infundir o seu espírito com essa verdade: “Jesus ainda pode fazer isso”.

Uma cena no evangelho de Marcos aborda quatro tipos de incêndio os quais confrontam a nossa fé. O primeiro é quando uma calamidade súbita cai sobre nós. O segundo é quando a provação vai durando um tempo longo demais e não mostra sinal de acabar. O terceiro é quando a situação se agrava continuamente. E o quarto é quando paramos de crer por completo.

1. Jesus pode fazer isso

Jairo era um homem consagrado, temente a Deus - e com uma crise imediata. “Eis que chegou a ele um dos principais da sinagoga, chamado Jairo, e, vendo-o, prostrou-se a seus pés e insistentemente lhe suplicou: Minha filhinha está à morte; vem, impõe as mãos sobre ela, para que seja salva, e viverá” (Marcos 5: 22-23).

Podemos imaginar o desespero de Jairo. Sua jovem filha estava doente e em risco de morte. Quando ele soube que Jesus, Aquele que cura, estava por perto, resolve “Vou por a minha fé Nele”. Correu até o Messias, caiu sobre a face e suplicou um milagre: “Senhor, a menos que Tu o faças, não há mais esperança. Os médicos não podem ajudá-la. Tu tens de fazer o milagre acontecer”.

Note a frase exata que Jairo usa no versículo acima: “e viva” A palavra “viva” denota a fé de Jairo na capacidade de Cristo. Ele cria no Senhor para o impossível, declarando, “Jesus, Tu podes”. Ele sabia que se Cristo simplesmente tocasse sua filha, ela seria curada.

2. Jesus fará isso

O que acontece a seguir revela ainda outro nível de fé. “Jesus foi com ele (Jairo). Grande multidão o seguia... Aconteceu que certa mulher, que, havia doze anos, vinha sofrendo de uma hemorragia e muito padecera à mão de vários médicos, tendo despendido tudo quanto possuía, sem, contudo, nada aproveitar, antes, pelo contrário, indo a pior...” (5:24-26).

Veja a situação desesperadora desta mulher; por tempos e tempos com um sangramento, indo de mal a pior. Mas quando ela ouviu que Jesus estava passando diz “Se eu apenas lhe tocar as vestes, ficarei curada” (5:28).

Oculta em seu coração havia uma semente de fé, como de mostarda – do tipo que cresce tornando-se uma árvore grande e frutífera. A fé desta mulher era tão grande, que ela não precisava que Jesus fosse até ela; tudo que ela precisou fazer foi buscá-Lo e tocá-Lo. Note a última parte do raciocínio dela: “ficarei curada” (5;28). Ela não ficou pensando simplesmente, “Jesus pode me curar se quiser”. Ela estava convencida de que “Isso vai acontecer porque Ele é Deus”. Era uma fé sólida e concreta como rocha – daquele tipo que crê em Deus para milagres baseando-se na bondade Dele.

A situação desta mulher espelha a de muitos cristãos atualmente. Para alguns casais que estão se debatendo não é suficiente crer que “O nosso casamento ainda pode dar certo”. Eles precisam de uma fé que afirme “A despeito de tudo, Deus fará isso acontecer”. O mesmo se aplica a muitos que enfrentam crises quanto à saúde. Não lhes é suficiente dizer “Deus pode me livrar”, mas sim, “Deus me livrará”.

Imagine o que a situação desta mulher havia causado à sua vida. Por mais de doze anos ela havia passado de fraca para débil para frágil. Talvez isso possa descrever a sua vida. Problemas se multiplicando, contas aumentando e preocupações em alta. Você vê as orações das outras pessoas sendo respondidas, mas as suas parecem cair sobre ouvidos moucos. Agora o clamor do seu coração é “Até quando, Senhor? Por que preciso continuar esperando que o Senhor me ouça?”.

Eu gosto da fé desta mulher, que padecia deste problema de saúde. Ela não tinha nenhum motivo para crer em algo, pois nada havia funcionado para ela. Ainda assim ela buscou Jesus com confiança de fé: “Ou eu morro disso, ou fico curada hoje”. A fé dela não era simplesmente “Jesus pode”, mas “Jesus fará”.

Encontrei este tipo de fé em uma viagem ao Brasil. Pedi a um pastor que me levasse a uma comunidade empobrecida para ver como World Challenge poderia ajudar em algumas das necessidades locais. As favelas do Brasil são o equivalente aos guetos urbanos mais desesperadores dos Estados Unidos, apenas piores – muito piores. Não há eletricidade e nem água corrente. As ruas funcionam como esgotos, com dejetos humanos correndo. Órfãos sem teto perambulam procurando comida e abrigo. As favelas não têm órgãos de governo ou da polícia, mas são governadas por traficantes.

O pastor que me levou à favela era um ex-viciado em drogas. Ele queria que eu encontrasse a fiel idosa que o levara a Cristo. Ela tinha mais de cem anos e ainda vivia em um barraco humilde. Anos antes ela havia evangelizado o jovem, lhe dizendo dia após dia, “Há esperança. Jesus vai mudar a sua vida”.

Assim que o pastor me apresentou a esta santa mulher, ela imediatamente começou a orar dizendo, “Deus, Tu me trouxestes este homem. Tenho orado a Ti desde os meus dezoito anos, intercedendo por esta comunidade, onde quadrilhas e traficantes continuam matando. Mas agora posso partir para Ti, pois enviastes este homem para cuidar da nossa comunidade”.

Apertando a minha mão, ela então orou por aquilo que o nosso ministério iria fazer – começar uma escola, um orfanato, uma clínica médica, um programa para alimentos – tudo que nos foi permitido fazer. Aconteceu porque ela orou em fé, “Senhor, Tu farás” – e a força da sua fé me impulsionou. Comecei a confiar em Deus para tornar em realidade todas estas coisas através do nosso ministério.

Não entenda mal. A fé desta senhora não era aquela do tipo “é pedir e pegar”. A oração dela não se baseava em alguma vontade ou capricho, mas num desejo que havia sido plantado em seu coração pelo Espírito Santo. Era um acordo com o próprio desejo de Deus para promover o Seu reino na terra.

Eu creio que esta mulher com hemorragia no evangelho de Marcos tinha a mesma fé. Ao tocar as vestes de Jesus, “Logo se lhe estancou a hemorragia, e sentiu no corpo estar curada do seu flagelo. Jesus, reconhecendo imediatamente que dele saíra poder, virando-se no meio da multidão, perguntou: Quem me tocou nas vestes?” (5:29-30).

Note que Jesus não iniciou esta cura. Foi a fé da mulher que o fez. O próprio Jesus disse, “Filha, a tua fé te salvou; vai-te em paz e fica livre do teu mal” (5:34). A fé da mulher estava baseada na bondade de Deus. Ela declarava, “Senhor, mesmo que Tu tenhas se esquecido do meu problema, não me esqueci da Tua fidelidade”. A história dela é para dizer que podemos ter o mesmo tipo de fé – do tipo que diz “Senhor, Tu farás”.

3. O terceiro tipo de fé abordado nessa passagem é o mais difícil de se ter

“Falava ele ainda, quando chegaram alguns da casa do chefe da sinagoga, a quem disseram: Tua filha já morreu” (Marcos 5:35).

Esta notícia deve ter atingido o coração de Jairo como uma facada. Ele tinha acabado de ouvir Jesus dizer à mulher com hemorragia que o sofrimento dela estava acabado. Agora Jairo estava ouvindo que o sofrimento dele estava apenas começando. Vejo este piedoso homem pensando, “A minha fé não foi tão forte quanto o desta mulher. Minha filha foi permitida morrer por causa da minha falta de fé”.

Há uma mensagem importante contida nessa passagem a todos cuja situação se desmoronou totalmente. Talvez a sua cura não aconteceu, ou o seu matrimônio acabou. Talvez aquele seu querido jamais foi a Jesus. Nós simplesmente não entendemos porque Deus permite que aconteçam algumas tragédias.

A gente poderia reagir questionando ou mesmo culpando Deus. Posso imaginar Jairo pensando, “Se Jesus não tivesse parado para falar com aquela mulher, poderíamos ter chegado à minha casa com tempo”. Quantas vezes você se perguntou em meio à provação, “E se...”?

Nessas horas, alguns cristãos são tentados a deixar de acreditar que Deus irá responder a quaisquer de suas orações. Pense em Jairo. Por que deveria ele ter fé àquela altura? Alguém havia acabado de lhe dizer, “A tua filha morreu. Não adianta agora incomodar o Mestre” (v. 5:35).

O tipo de fé que Jesus pede nesse cenário é o mais difícil de ter. Todas as circunstâncias dizem que é tarde demais para Deus intervir. Logo, poderíamos muito bem parar de orar.

Porém Jesus busca um tipo muito particular de fé nesse tipo de situação. É uma fé que diz, “Sim, não há mais chance para esta situação. Mas Jesus ainda pode operar”. Este é o tipo de fé que foi requerido de Abraão. O seu filho Isaque já era considerado morto quando Abraão levantou a faca para matá-lo em obediência ao Senhor. Contudo bem quando as promessas de Deus pareciam não ser reais, o Todo-poderoso interveio.

Foi exatamente assim que Jesus interveio para Jairo. Ele lhe disse, “Não temas, crê somente” (5:36). Eu não acredito que Cristo estivesse exigindo fé de Jairo aqui, por mais que estivesse falando da fé dele. Assim como o Senhor disse na criação, “Haja luz”, igualmente Ele disse para Jairo aqui, “Haja fé”.

Amigo, se fosse para Jesus lhe falar de modo audível hoje, creio que Ele diria a mesma coisa quanto à sua situação: “Crê somente”. Ele está soprando Sua palavra viva para dentro do seu coração, criando fé em você. Ele sabe que você chegou ao limite, que você já foi além da sua força e capacidade. E agora Ele está profetizando em relação a você, dizendo, “Crê somente - em relação ao seu casamento, aos seus filhos, à sua saúde, às finanças, ao seu trabalho no ministério – a qualquer área da sua vida que esteja se agravando em vez de melhorar, e que hoje se encontra no leito de morte”.

Conhecemos o resto da história de Jairo. Jesus diz a todos os familiares “Por que toda essa comoção e choro? A criança não está morta; apenas dorme” (v. 5: 39). A sua situação pode aparentar ser desesperadora, também – mas não para Jesus. Ele levantou da morte a filha de Jairo, e está pronto para entrar na sua situação com o mesmo poder da ressurreição.

4. O ultimo tipo de fé que Jesus aborda é quando abandonamos a fé por completo

Bem no capítulo seguinte, Jesus vai a certa cidade onde encontra incredulidade absoluta. Sempre fico assombrado com os versículos seguintes: “Não pôde fazer ali nenhum milagre, senão curar uns poucos enfermos, impondo-lhes as mãos. Admirou-se da sua incredulidade” (Marcos 6:5-6).

 Estes versículos dinamitam a minha teologia. Como um Deus soberano pode ter as mãos atadas pela incredulidade de seres humanos? A verdade é que Jesus estava mandando uma mensagem para aquela cidade, dizendo basicamente “Sinto muito, gente. Há outras pessoas com tanta fé, que chegam a abrir um buraco no teto para baixar um homem doente para Eu curá-lo Vocês não creem nem que Eu possa curar”.

A passagem termina com esta declaração incrível: “Admirou-se da sua incredulidade” (6:6). Que isso seja uma admoestação. Que você não termine a leitura desta mensagem com qualquer incredulidade no coração.

Claro, há vezes em nossas vidas quando Deus pode escolher agir de um jeito contrário aos nossos desejos. Nós oramos, nós suplicamos, cremos que o Senhor intervirá – e Ele simplesmente vai em outra direção. Mas isso não quer dizer que Deus quer que abandonemos a fé, e nunca mais peçamos, ou tenhamos esperança - e vivamos sem desejos.

Você ainda crê que Jesus pode? Você crê que Ele fará? Não importa qual a sua provação, não importa quão desesperadora ela pareça ser, Ele está pronto para intervir. Peça que Ele sopre fé em você.

Download PDF