NÃO DESPERDICE AS SUAS AFLIÇÕES | World Challenge

NÃO DESPERDICE AS SUAS AFLIÇÕES

David Wilkerson (1931-2011)March 15, 2021

Saiba Que Ele Está Completando Uma Boa Obra Em Você

“Mas quero que saibais, irmãos, que as coisas que me aconteceram realmente resultaram para o promover do evangelho” (Filipenses 1:12, NKJV). Nesse versículo, Paulo diz aos cristãos em Filipos que não se preocupem com todas as coisas que ouviram que aconteceram a ele. Todas essas “coisas” a que ele se refere incluíam grandes aflições e enfermidades.

Paulo escreveu esta epístola enquanto estava preso em uma prisão romana. Naquela época, ele era um guerreiro experiente do evangelho, tendo suportado todas as dificuldades e aflições humanas concebíveis. Se você estudou a vida de Paulo, você sabe os tipos de coisas que ele sofreu: naufrágios, espancamentos, esbofeteadas, injúrias, zombarias, perseguições, fome, sede, nudez e difamação de caráter.

Raramente consideramos que algumas das piores aflições de Paulo vieram das mãos daqueles que se diziam crentes nascidos de novo. Alguns oponentes eram líderes religiosos invejosos que voltaram congregações inteiras contra ele. Eles ridicularizaram seu estilo de vida, criticaram sua pregação, questionaram sua autoridade e deturparam sua mensagem. Aonde quer que Paulo fosse, parecia que era recebido por aflições, problemas e tristeza. O Espírito Santo frequentemente lhe dizia que “correntes e tribulações o aguardavam” em suas viagens (Atos 20:23).

No entanto, Paulo declarou: “Nenhuma dessas coisas me comove” (20:24). Ele acrescentou que “ninguém deve ser abalado por essas aflições; pois vós mesmos sabem que fomos designados para isso. Pois, de fato, já dissemos a vós, quando estávamos convosco, que sofreríamos tribulações, como aconteceu, e vós sabeis” (1 Tessalonicenses 3:3-4).

Uma certa teologia na igreja americana diz que se você tiver sua fé operada corretamente, você não sofrerá.

Nada parecido com isso aparece na Bíblia. Pelo contrário, Paulo diz que fomos “designados” para sofrer por causa de Cristo. Além disso, Paulo disse que acordava todos os dias “sem saber as coisas que ali me acontecerão, exceto que o Espírito Santo testifica em cada cidade, dizendo que cadeias e tribulações me aguardam” (Atos 20:22-23).

Tente obter essa imagem em sua mente. Aqui estava um homem santo chamado por Deus para levar o evangelho às nações, e em cada tarefa o Espírito Santo sussurrava para ele: “Paulo, a próxima parada não será fácil. Você vai enfrentar oposição novamente. Você encontrará mais aflições, testes e sofrimento”.

Você pode contestar: “Espere um minuto, você está falando sobre a vida de Paulo, não sobre a minha. Ele foi designado por Deus para sofrer aflições. Eu não fui chamado para uma vida assim”. A Bíblia diz claramente: “Muitas são as aflições do justo, mas o Senhor o livra de todas” (Salmo 34:19).

Se o Senhor não permitisse problemas em nossa vida, isso representaria a pior forma de rejeição. Significaria que Deus está dizendo: “Não tenho nenhum trabalho especial para este crente, nenhum plano para sua vida, sendo separado como um testemunho. Portanto, não preciso produzir nada neles. Deixe-os permanecer sem treinamento, sem instrução, um adulto com mente de criança. Que eles não abundem em graça. Que não aprendam por meio da aflição, para que possam ensinar a outros. Deixe-os simplesmente existir e morrer em sua infantilidade”.

Eu tenho uma pergunta para você. Não importa quanto tempo você caminhou com Jesus, você certamente conheceu dores, provações e aflições. Então, como você se comportou neles? Qual foi o resultado de suas experiências? Todas as suas aflições foram em vão? Ou você aprendeu sobre o amor e a fidelidade de Deus no meio deles?

A maneira como reagimos em nossos momentos de aflição tem tudo a ver com os resultados que vemos.

Talvez você seja um cristão dedicado que deu sua vida por Jesus. Como você reagiria se tudo o que tivesse para mostrar por sua dedicação, trabalho e sacrifício fosse o fracasso total? Como você reagiria se Deus te rejeitasse, amarrasse suas mãos e te deixasse indefeso?

Alguns cristãos duvidariam da palavra de Deus para eles. Eles questionariam a direção do Espírito em suas vidas. Toda a prova de sua fé, a aflição destinada a jogá-los nos braços de Jesus, seria desperdiçada.

Outros cristãos, no entanto, responderiam como Paulo, regozijando-se por terem sido considerados dignos de sofrer por causa de Cristo. Paulo não tentou entender suas aflições. Ele respondeu com fé, esperança e alegria porque sabia que estava sendo treinado como testemunha de Deus. Ele escreveu da prisão para seus amigos: “Estou na prisão por causa de Jesus. Pude testemunhar para muitas pessoas em Roma. Até vi algumas pessoas da casa de César serem salvas” (Veja Filipenses 4:22). Ele deve ter sido uma visão e tanto naquela cela de prisão, um homem esquelético encorajando todos ao seu redor: “Alegrem-se em suas aflições. Deus é fiel!”.

Paulo não desperdiçou nenhuma de suas aflições. Ele sabia que cada um delas tinha um propósito divino. Da mesma forma, o Senhor observa como nos comportamos durante nossas provações hoje. Quero falar com você sobre três maneiras pelas quais nossas aflições podem ser desperdiçadas.

1. Desperdiçamos aflições com murmúrios e queixas.

Esse tipo de comportamento perturba o Senhor. Foi a razão pela qual todos os testes e aflições que Israel experimentou no deserto foram perdidos para eles.

Conheço muitos cristãos que se tornaram mais amargos e mal-humorados a cada nova aflição. Você pensaria que o Deus deles está morto. Eles até parecem azedos. As próprias aflições destinadas para treiná-los e adoçá-los, provações designadas por Deus para revelar sua fidelidade, transforma-os em queixosos habituais. Eu me pergunto ao vê-los: “Onde está sua fé, sua confiança no Senhor? O que seus filhos devem pensar?”.

Não desperdice suas aflições. Deixe que elas produzam em você o doce aroma da confiança e da fé em seu Senhor. Todas as suas provações têm como objetivo jogá-lo nos braços dele, fazer com que você diga: “Eu sou dele e ele é meu. Ele vai me fazer superar esta aflição”.

2. Desperdiçamos aflições quando enfrentamos novas aflições sem nos lembrarmos de como nos livramos das antigas.

Temos a tendência de esquecer todas as coisas boas que Deus fez por nós. Moisés lembrou Israel de todas as suas libertações anteriores. Em seguida, ele os advertiu: “Apenas tomem cuidado e guardem-se diligentemente, para que não se esqueçam das coisas que seus olhos viram, e que não se desviem do seu coração todos os dias da sua vida. E ensina-os a teus filhos e netos” (Deuteronômio 4:9).

Infelizmente, a Bíblia diz sobre aquela geração: “Eles não guardaram a aliança de Deus; recusaram a andar na Sua lei e esqueceram as Suas obras e maravilhas que Ele lhes tinha mostrado” (Salmo 78:10-11). Como os israelitas, temos a mesma tendência sempre que enfrentamos uma nova provação ou aflição. Dizemos: “Ó, Deus, esta provação é demais para eu enfrentar”. Deus responde: “Simplesmente olhe para trás e lembre-se de minha fidelidade a você”.

Se necessário, mantenha um diário para se lembrar das grandes libertações de Deus em sua vida. Faça algumas anotações à noite antes de ir para a cama. Faça o que for preciso para se lembrar de todas as coisas que ele fez por você, todas as dores de cabeça pelas quais ele te livrou. Então, quando sua próxima aflição surgir, abra seu caderno e diga ao diabo: “Você não vai me enganar desta vez. Meu Deus me livrou antes, e ele fará novamente”.

3. Desperdiçamos nossas aflições quando nos recusamos a ver que Deus nos conduz por meio delas a fim de ensinar e encorajar os outros.

Devemos compartilhar nossas experiências com nossos irmãos e irmãs para provar a fidelidade de Deus a eles. Devemos nos levantar e dizer: “Graças a Deus, eu sou um veterano. Posso dizer por experiência que ele é fiel”.

Paulo realmente se gabou de suas aflições: “De agora em diante ninguém me perturbe, porque trago no meu corpo as marcas do Senhor Jesus” (Gálatas 6:17). Ele sabia que cada cicatriz tinha um propósito eterno.

Por que você acha que Deus te livrou de todas as suas aflições passadas?

Davi testificou de suas aflições: “Na minha angústia invoquei o Senhor e clamei ao meu Deus; Ele ouviu minha voz de Seu templo, e meu clamor veio diante Dele, até mesmo aos Seus ouvidos… Ele enviou do alto, Ele me levou; Ele me tirou de muitas águas. Ele me livrou do meu inimigo forte, daqueles que me odiavam, pois eram fortes demais para mim. Eles me confrontaram no dia da minha calamidade, mas o Senhor foi meu apoio. Ele também me levou a um lugar amplo; Ele me livrou porque se agradou de mim” (Salmos 18:6, 16-19).

Você deve se lembrar que tudo o que você está passando vai passar. Recentemente, li uma passagem em um de meus diários, que escrevi enquanto passava por uma grande provação. Três meses de escritos no diário terminaram com a mesma frase: “Ó, Deus, quando esse pesadelo vai acabar?” Então, finalmente, essas palavras apareceram em uma página em letras enormes: “ACABOU. ELE LIBERTOU!”.

Posso dizer honestamente que aprendi mais em minhas aflições do que nos bons tempos. A prosperidade não nos ensina; aflições ensinam (veja Hebreus 12:3-8). Eu pergunto novamente: Como você está reagindo às suas aflições? Você está desperdiçando-as, tornando-se alguém que duvida e reclama? Ou você está construindo sua fé, sabendo que seu Deus liberta?

Só existe uma maneira de suportar seus problemas atuais, lembrando-se de que seu Pai celestial se agrada de você. Ele tem um plano em ação, um grande investimento em você, para o propósito eterno dele. “Aquele que começou uma boa obra em vós, a completará até o dia de Jesus Cristo” (Filipenses 1:6). Seu pai está preparando você para ser um veterano da guerra espiritual, um exemplo de fé e confiança para esta geração. Amém!

HEARING THE VOICE OF THE LORD

One believer received the strangest urge from the Spirit and witnessed a little miracle when he obeyed this mysterious call.

READ NOW

DAILY ENCOURAGEMENT IN YOUR INBOX

Sign up now to receive our Daily Devotional or E-newsletter.

SUBSCRIBE

Download PDF