O DOM DA JUSTIÇA | World Challenge

O DOM DA JUSTIÇA

David Wilkerson (1931-2011)
February 19, 2018

Como Deus Nos Transforma em Quem Ele Vê que Seremos

O que nos mantém puros? Essa é a questão por trás de um ponto chave da teologia cristã chamada santificação. Eu li todos os tipos de livros sobre a santificação. No entanto, ao ler página após página, eu só fiquei cada vez mais confuso. Parece que cada líder de igreja teve sua própria ideia sobre o assunto. Depois de muita oração, acredito que Deus me deu uma maneira de entender seu trabalho de nos purificar e santificar. Aqui está uma definição simples, como o Espírito Santo me explicou.

A Santificação é o Espírito de Cristo em nós – fazendo-nos ser, na realidade, o que Deus já nos vê sermos pela justificação. Declarou claramente: Deus já nos fez “justos” aos seus olhos, e essa é uma santidade maravilhosa. Mas agora ele está trazendo essa santidade para nossas vidas práticas. Esta é a obra do Espírito de Cristo em nós – nos conformando com o que Deus já nos vê que somos. “Agora que o próprio Deus da paz vos santifique completamente; e que todo seu espírito, alma e corpo sejam preservados irrepreensíveis na vinda de nosso Senhor Jesus Cristo” (1 Tessalonicenses 5:23).

Paulo escreve: “Pois esta é a vontade de Deus, a vossa santificação... para que cada um de vocês saiba possuir seu próprio vaso em santificação e honra” (4:3-4). O apóstolo está dizendo: “É a vontade de Deus que você viva uma vida santa – que nenhum pecado tenha poder ou domínio sobre você”.

Não sei qual é a sua tentação. Mas a Bíblia afirma claramente: “Pois o pecado não terá domínio sobre você, porque você não está debaixo da lei, mas está debaixo da graça” (Romanos 6:14). O Senhor quer dizer que todo crente tem um poder de controle em sua vida, autoridade real para reinar sobre o pecado.

“Pois, se por causa da ofensa de um homem reinou a morte através desse, muito mais aqueles que recebem abundância de graça e do dom da justiça reinarão na vida através daquele, Jesus Cristo” (5:17, minha ênfase).

A palavra grega para “reinar” aqui significa “governar de uma base de poder”. Quando Paulo fala sobre “reinar em vida”, ele está falando sobre ter o poder que domina sobre o pecado – e não apenas no céu, mas nesta vida. Devemos reinar sobre todo poder demoníaco, toda luxúria, todo principado que vem contra nós. Essa é a verdadeira santificação.

Ainda, outra verdade poderosa está contida neste versículo: “aqueles que recebem abundância de graça e do dom da justiça” (mesmo verso, minha ênfase). Aqui Paulo chama a justiça de um dom. É algo dado a você, colocado em sua posse – algo que você pode tocar e sentir!

Este “dom da justiça” é o Espírito de Jesus Cristo.

Quando você entregou sua vida a Cristo, você foi adotado como um filho e se tornou um herdeiro conjunto com o próprio Filho de Deus. Naquele momento, Deus enviou o próprio Espírito de Cristo para permanecer em você – para viver em você, capacitá-lo e realmente viver sua vida por você. “Vocês não se conhecem, que Jesus Cristo está em vocês?” (2 Coríntios 13:5).

Jesus é o único vencedor do pecado, da carne e do diabo. Ele sozinho é o conquistador, o Leão de Judá. E Deus envia o Espírito deste poderoso guerreiro para ser nosso santificador. Não temos poder em nós mesmos. Todo o poder sobre o pecado, a carne e o diabo está no Espírito de Jesus Cristo, que foi enviado para habitar em nós.

Você acha que Deus nos justificaria, mas depois nos deixaria totalmente impotentes contra os principados e os poderes da escuridão? Você acha que ele nos diz: “Eu considero você justo por sua fé na obra consumada de meu Filho. Agora, vá e resista ao pecado e lute com o diabo, o melhor que puder. Eu vou lhe dar crédito por um bom esforço”? Não, nunca!

Cristo não lutou com o diabo, o derrotou, retornou ao Pai e depois desistiu de nós. Ele não disse apenas: “Eu fiz a minha parte. Agora, faça a sua”. Não, nosso Salvador abençoado subiu ao céu com uma bandeira de vitória total, manchada de sangue, sobre todo o poder do inimigo. E ele ainda está lá agora, como Deus e como homem vitorioso, sentado em glória à direita do Pai. E ele nos enviou seu Espírito, que permanece no coração de cada crente verdadeiro: “O Espírito da verdade, a quem o mundo não pode receber, porque não o vê nem o conhece; mas vós o conheceis, pois ele vive convosco e estará dentro de vós” (João 14:17).

Você e eu nunca devemos enfrentar o tentador em nossa própria força. Nada que temos é adequado. E não podemos enfrentar nossos desejos e hábitos como soldados fracos, simpatizantes e covardes. Em vez disso, de acordo com a Palavra santa de Deus, temos um Espírito em nós que é maior do que qualquer demônio neste mundo: “Filhinhos, vós sois de Deus, e os tendes vencido, porque maior é o Aquele que está em vós do que aquele que está no mundo” (1 João 4:4). Seu Espírito nos da força em todas as batalhas com a carne e o diabo: “Aquele que é poderoso para realizar infinitamente mais do que pedimos ou imaginamos, de acordo com o seu poder que opera em nós” (Efésios 3:20).

Nós somente reinamos na vida quando permitimos que o Espírito de Cristo viva sua vida em nós e através de nós. “Pois, se viveres de acordo com a carne, certamente morrereis; mas se pelo Espírito fizerdes morrer os atos do corpo, vivereis” (Romanos 8:13). Todo o poder sobre o pecado, a carne e o diabo reside no Espírito de Cristo que habita em nós: “Que Ele vos conceda, segundo as riquezas da sua glória, que sejais fortalecidos com poder através do seu Espírito no homem interior” (Efésios 3:16).

Todo pecado que te escraviza – toda fortaleza demoníaca – exige um milagre de Deus. Somente ele sabe como libertar seu povo do poder da escuridão. Deve ser feito sobrenaturalmente: “Portanto, aquele que vos dá o Espírito e faz milagres entre vós, ele o faz pelas obras da lei, ou por meio da fé?” (Gálatas 3:5). Deus faz milagres não para aqueles que trabalham sob seu próprio poder, mas para aqueles que confiam nele para fazer o trabalho completamente.

A maior liberação possível de poder e fé é estar completamente convencido de que Deus te ama.

Paulo diz que é o amor que libera fé em nós para andarmos como Jesus andou. “Em Cristo Jesus, nem a circuncisão nem a incircuncisão têm qualquer valor, mas sim a fé que opera pelo amor” (Gálatas 5:6). “Em todas as coisas somos mais do que vencedores através daquele que nos amou” (Romanos 8:37). Nestes dois versículos, Paulo conecta nossa vitória com o amor de Deus por nós. De fato, o conceito inteiro de santificação é tudo sobre o amor.

Paulo diz que a vida de Cristo foi liberada nele através de uma fé que operava pelo amor: “Eu fui crucificado com Cristo; já não sou eu quem vivo, mas Cristo vive em mim; e a vida que hoje vivo na carne vivo pela fé no Filho de Deus, que me amou e se entregou por mim” (Gálatas 2:20). Paulo estava convencido de que o Senhor o amava. Sua posição como um filho de Deus produziu fé nele – e essa fé liberou a vida de Cristo nele. “Não que sejamos capazes, por nós mesmos, de pensar alguma coisa, como se partisse de nós mesmos, mas a nossa capacidade vem de Deus” (2 Coríntios 3:5).

Paulo ainda diz: “Deus te amou mesmo quando você estava morto nos pecados. E agora que você confia em seu amor, ele te dá o poder da ressurreição”. “Mas Deus, que é rico em misericórdia, por causa do seu grande amor com o qual Ele nos amou, mesmo quando estávamos mortos em nossos pecados, nos fez viver junto com Cristo” (Efésios 2:4-5).

Deixe-me dar um poderoso exemplo do grande amor da ressurreição de Deus, da minha própria vida. Em 1958, entrei nos projetos do Fort Greene no Brooklyn, território da notória gangue Mau Maus. Quando levantei para pregar, os membros das gangues começaram a provocar, vaiar e gritar. Depois que terminei, fui falar com os líderes. Um deles era Nicky Cruz, que tentara matar seu próprio irmão. Eu disse: “Nicky, Jesus te ama”. Ele cuspiu na minha cara e riu. Então ele me xingou.

Mas Nicky não conseguiu afastar essas palavras: “Nicky, Jesus te ama”. Essas palavras entraram no coração do líder da gangue, e ele não conseguiu escapar de seu poder. Ele pensou: “Quem poderia me amar? Eu odeio pessoas. Ninguém nunca me amou!”.

No entanto, o Senhor entrou no coração de Nicky – e Nicky finalmente soube quem ele era: um filho de Deus amado. A verdade do amor de Deus mudou a vida de Nicky Cruz.

Anos depois, após de se tornar um evangelista, Nicky veio visitar nosso ministério no Texas. Perguntei a ele o que manteve-o fiel a Jesus durante todos esses anos. Ele disse: “Irmão David, você me disse uma vez que Jesus me amava. Fiquei convencido disso. Então, eu comecei a amá-lo também. Foi isso que me manteve”.

Nicky não tinha nenhuma teologia da santificação. Mas ele estava sendo santificado – porque ele estava amando seu Pai e recebendo o amor de seu Pai.

Você pode questionar: “Eu acredito que Deus me ama, mas qual é a minha parte em tudo isso?”

Aqui está a sua resposta: “O Senhor sabe como livrar o piedoso das tentações e manter o injusto sob o castigo para o dia do juízo” (2 Pedro 2:9). O Senhor sabe tudo sobre sua luta. Ele está tocado com os sentimentos de sua enfermidade. Para você, parece sem esperança – mas Deus sabe exatamente quando e como ele libertará você. Graças a Deus, ele não deixou isso por nossa conta! Nossa parte é simplesmente reconhecer que nossos próprios esforços são inúteis. Devemos nos submeter ao Espírito de Cristo em nós – chamá-lo em confiança, clamando: “Senhor, eu não consigo fazer isso, mas Tu podes. Eu entrego tudo a Ti”. Eu quero dar a você uma das passagens mais importantes em toda a Bíblia. Ela diz respeito dessa necessidade de confiar no amor de Deus como um meio de ser libertado:

“Veja que imenso amor nos tem concedido o Pai, a ponto de sermos chamados filhos de Deus! Portanto, o mundo não nos conhece, porque não o conheceu. Amados, agora somos filhos de Deus; e ainda não foi revelado o que havemos de ser, mas sabemos que quando ele se revelar, seremos como ele, pois o veremos como ele é. E todos os que têm essa esperança nele purifica a si mesmo, assim como Ele é puro” (1 João 3: 1-3).

Jesus tem o poder de nos purificar. E esse poder está disponível para nós apenas quando descansamos sabendo que somos filhos de Deus – e que ele nos ama. Você pode ter passado semanas, meses e anos lutando contra o seu pecado. Você pode ter rangido os dentes e prometido a Deus e a você mesmo: “Eu vou derrotar essa coisa. Eu vencerei”. Não! Fale com o seu Pai hoje. Dê uma olhada nesse hábito sugador de vida que o abraça, e deixe a fé sair do seu coração: “Oh, Senhor, meu poderoso Salvador, eu sei que Tu me amas. E Tu tens todo o poder que eu preciso. Sou fraco, desamparado. Mas eu confio no seu poder para expulsar essa coisa má. Senhor, preciso de um milagre de libertação. Tu vais me libertar!”.

Então, escute ele falar. Quando ele fala com você, o resultado inevitável é sempre a paz. Reivindique seu milagre – pela audição da fé, não pelo poder da carne. Seu Pai te ama. Agora, ame-o também como um filho ou filha. Amem!

Download PDF