O Dia Terrível do Qual Ninguém Quer Falar | World Challenge

O Dia Terrível do Qual Ninguém Quer Falar

David WilkersonFebruary 5, 2007

"Mas o dia do Senhor virá como o ladrão de noite; no qual os céus passarão com grande estrondo, e os elementos, ardendo, se desfarão, e a terra, e as obras que nela há se queimarão. Havendo, pois de perecer todas estas coisas, que pessoas nos convem ser em santo trato, e piedade, aguardando, e apressando-nos para a vinda do dia de Deus, em que os céus, em fogo se desfarão, e os elementos, ardendo, se fundirão? Mas nós, segundo a sua promessa, aguardamos novos céus e nova terra, em que habita a justiça" (2 Pedro 3:10-14).

Um notável evangelista de televisão chocou nosso país recentemente com um aviso profético. Ele disse que Deus lhe revelou que um súbito ataque terrorista chegará em breve aos Estados Unidos, e multidões serão mortas. Uma profecia similar foi dada em rede nacional por outro respeitado evangelista televisivo.

Nas semanas recentes recebi profecias de ministros desconhecidos porém piedosos, que estão proclamando esse mesmo tipo de mensagem. Esses pastores estão alertando "Uma grande calamidade está por vir sobre nós breve e repentinamente. Será tão devastador que o mundo irá tremer. As coisas jamais serão as mesmas".

Repetidamente ouço noticiários prevendo esse mesmo tipo de coisa: uma terrível crise mundial está para acontecer. Creio que essas premonições feitas pelo mundo secular são o meio do Espírito de Deus alertar os descrentes. Agora, até mesmo as pessoas mais ímpias na terra sentem em suas almas uma perturbação interior de que um dia terrível e assustador é inevitável, e se aproxima rapidamente.

Agora mesmo, o mundo está numa desordem assustadora. Penso nas horríveis atrocidades tendo lugar em Darfur, Sudão. Mais de 300.000 pessoas morreram lá, e outras 2 milhões tornaram-se refugiadas. Enquanto o mundo vê isso em horror e incapaz de frear a matança, uma Organização das Nações Unidas senta paralisada. Muitos dos mantimentos enviados para ajudar vão para forças militares rebeldes.

O terrorismo está crescendo, e as potências do mundo estão confusas. A Organização das Nações Unidas vem sendo chamada de "Missão Impossível", com seu Conselho de Segurança desesperadamente dividido. Enquanto isso, o Irã e a Coréia do Norte estão numa corrida para construir arsenais nucleares, com o Irã ameaçando tirar Israel do mapa. Para essas nações renegadas, qualquer ameaça de sanções das Nações Unidas soa como piada. Elas abertamente zombam das solenes resoluções tomadas pela organização.

Todo esse tempo, a China cresce rapidamente como potência global, determinada a substituir os Estados Unidos como única super potência. O governo chinês está despejando bilhões de dólares na África, América do Sul, no Extremo Oriente e América Latina, comprando a influência das nações. Agora parece que tudo está sendo feito na China, ou pela China.

As nações do mundo e seus líderes não estão ouvindo todos os alarmes que estão soando. A maioria provavelmente não vai nem escutar os avisos - assim como os reis de dura cerviz da Bíblia os quais rasgavam os avisos dos profetas, e zombavam do que estava sendo profetizado a eles.

De fato, todos os que odeiam Cristo estão zombando. O mundo secular zomba dos pastores que anunciam esses alertas terríveis, chamando-os de pregadores da desgraça, dizendo que estão loucos. Bem como as escrituras previram, esses escarnecedores dos dias de hoje afirmam, "Todas as coisas continuam da mesma forma como no começo dos tempos. Nada irá impedir a continuação da prosperidade do mundo. Está tudo bem".

O fato é que os que amam as coisas desse mundo vão dar de ombros a cada aviso e profecia. Isso também é verdade para um número grande de cristãos. Se um crente é dado à perseguição de riqueza e sucesso – se ele quer uma religião fácil, de graça barata – ele vai desviar os ouvidos de uma mensagem que soe dura.

Pessoalmente, estou chocado com os muitos ministros de Deus que abertamente desprezam aqueles que alertam quanto aos tempos calamitosos à frente. Não entendo como podem rejeitar cada mensagem profética que esteja soando. Pense nisso:

  • Agora mesmo, líderes da segurança nacional estão enviando alertas nos EUA – alertas amarelos, laranja e vermelho, incluindo avisos de aviação.
  • Pessoas da alta segurança estão alertando da possibilidade de uma bomba suja ser disparada por terroristas, com multidões em risco.
  • Na cidade de Nova York, toda agencia de segurança tem feito treinamentos para quando um ataque ocorrer. Os noticiários relatam continuamente que esse ataque não é uma questão de "se" mas "quando". Sua ocorrência é só questão de tempo.
  • Especialistas na área de saúde estão alertando sobre pandemias globais, prevendo que milhões e milhões morrerão. HIV/AIDS já está devastando o mundo, dominando a maior parte da África.

Como o corpo de Cristo está reagindo a esses avisos? Em muitas igrejas, não há menção de atrocidades, terrorismo, trágicas pandemias. Ao invés disso, as mensagens trazidas por esses púlpitos consistem de palestras para motivar os ânimos, piadas, entretenimento. É tudo alimento espiritual para bebês, sem uma única palavra falando sobre julgamentos.

No entanto, a mão escreveu na parede, está declarado pelas escrituras e ecoado pelo mundo: um dia terrível está a caminho.

Mais e mais pastores estão instigando seu povo, "Deus quer que você seja rico. Ele quer que você seja primeira classe. Então, entre nela agora". Estão caindo no mesmo evangelho focado no dinheiro que Jesus expulsou do templo em Seus dias.

Creio que Deus ama abençoar o Seu povo, e existem promessas de progresso aos que dão à necessidades dos pobres, viúvas e órfãos. Não é pecado ser próspero. Muitos crentes abençoados financeiramente sustentam missões e obras de caridade ao redor do mundo.

Contudo, o Espírito Santo está agora mesmo argumentando ao mundo através de muitas vozes proféticas, da mesma forma que através de vozes do próprio mundo. Um dia terrível de acerto de contas bate às portas; no entanto, a maioria das pessoas – incluindo multidões de cristãos – não quer falar, ou mesmo pensar nele.

Se tão poucos estão ouvindo, então para quem são essas profecias? Por que o Senhor as enviaria, se tão poucos darão atenção? Quem no mundo vai ouvir esses avisos?

Fico pensando em Jeremias, Ezequiel e outros profetas do Velho Testamento que alertaram sobre a queda da Babilônia, a potência mundial na época. Os profetas também falaram da destruição que viria sobre os caldeus, medas, persas, e Tiro. No entanto, tais profecias nunca alcançaram essas nações pagãs ou seus líderes.

Até mesmo a desviada Israel zombou das vozes clamando no deserto. Então, por que Deus trouxe esses avisos afinal? Quem acreditaria em tais relatos? E para quem Deus está falando?

Ao longo da historia, Deus sempre enviou profetas com um alerta para despertar Sua noiva dormente. Ele revela o avanço da hora em tais avisos para despertar um ministério e uma igreja sonolenta.

Enquanto Deus fala através de homens renomados, muitas vezes o Senhor tem de achar vigias humildes, desconhecidos, escondidos - para dar Seus avisos. Ele tem pêgo pregadores que não mostram tanta atividade, homens que estão trancados com Deus em oração. Tais ministros são desprezados e ridicularizados como ignorantes e iletrados. No entanto, eles não temem a censura. Na verdade, são os "fracos" enviados por Deus para confundir os sábios.

E somente aqueles ouvintes que não amam o mundo vão ouvir os avisos proféticos que esses profetas trazem. Somente aqueles que anseiam pela vinda do Senhor terão essa mensagem soando verdadeira em seus corações.

Eis aqui porquê Deus alerta Seus fiéis: para que quando o desastre repentino chegar, eles não sejam devastados pelo medo. Quando esse acontecimento terrível chegar, o povo de Deus precisa saber que o acontecido não é um acidente ou um ato aleatório de uma nação sem escrúpulos. Eles devem ter a paz de Cristo em seus corações, sabendo que o nosso Deus ainda é o mestre do universo.

Dessa forma, o povo do Senhor terá sido alertado. E não entrará em pânico quando os homens desmaiarem de medo pelas coisas assustadoras que vêem chegando sobre a terra.

Pedro diz que o dia do Senhor não será um dia de alegria, mas de terror. Promete um repentino e inesperado "elementos ardendo se fundindo" (v. 2 Pedro 3:12).

Segundo Pedro, o dia virá repentinamente, "como ladrão de noite". E será acompanhado de grande estrondo. Imagine: os próprios elementos se dissolverão em calor abrasador, enquanto enorme chama consome e dissolve tudo em seu caminho.

O que devemos fazer diante de tal acontecimento? Um respeitado teólogo escreveu, "Isso soa como um holocausto nuclear". Independente de esse homem está certo ou não, está claro que Pedro está falando de um evento global cataclísmico.

Então, para quem o apóstolo está dirigindo essas palavras? Para quem ele está profetizando? Pedro escreveu essa epístola para "os amados", o fiel remanescente de crentes: "Amados, esta é agora a segunda carta que lhes escrevo. Em ambas quero despertar com estas lembranças a sua mente sincera"(2 Pedro 3:1).

Em suma, Pedro está dizendo aos seus leitores que está prestes a profetizar uma mensagem que ninguém gostaria de ouvir – ninguém, isto é, com exceção dos amados remanescentes. E segundo Pedro, seria uma palavra tão forte, que seria largamente escarnecida e ridicularizada. Ele diz a esses crentes, em essência, "Os escarnecedores virão. E zombarão das profecias tanto dos profetas do Velho Testamento, como dos apóstolos de hoje".

Repare no que Pedro diz a seguir: "Os céus e a terra de agora, pela mesma palavra do Senhor, têm sido reservados para o fogo, mantidos para o dia do julgamento e da destruição dos homens ímpios" (3:7, paráfrase minha).

Eis aqui a mesma palavra que Deus deu sobre a geração de Noé, a qual Ele julgou mandando o dilúvio. É também a mesma palavra que Deus deu sobre Sodoma e Gomorra, uma sociedade que foi julgada com fogo. Agora, Pedro diz, essa mesma palavra vem de Deus que aguarda "em reserva um enorme fogo consumidor para os dias de hoje" (3:7, paráfrase minha).

Sempre que ouvimos palavras como as de Pedro, a nossa primeira reação é de recuo. Pensamos, "Há tantas notícias ruins hoje, tanta coisa que traz estresse para nossas vidas. Tantas tragédias estão vindo sobre nós de todo o mundo. Por que precisamos ouvir essa mensagem agora?".

De fato, muitos cristãos podem se encolher com a mensagem que Pedro entrega aqui. Por dentro eles imaginariam, "Por que precisamos ser lembrados disso? Por que simplesmente não deixar acontecer?".

Mas Pedro nos dá a razão pela qual essa mensagem deve ser ouvida: "Havendo, pois de perecer todas estas coisas, que pessoas nos convém ser em santo trato, e piedade?" (2 Pedro 3:11).

Aqui está o coração da profecia de Pedro. À luz da súbita dissolução de todas as coisas, os amados de Deus devem analisar seus próprios comportamentos. Aqueles que procuram o cumprimento da profecia bíblica devem se formatar à imagem de Cristo, em conduta, conversas e pensamentos.

Pedro diz que o Senhor não retarda Sua promessa, ainda que muitos a tenham por tardia. Em outras palavras, Deus ainda não liberou o fogo que está reservado, e por uma razão. Não é apenas para permitir que a taça da iniqüidade transborde. Não, o Senhor segura o julgamento por causa de Sua eterna paciência com os pecadores, "não querendo que ninguém pereça, senão que todos venham ao arrependimento" (3:9).

Entretanto, não se engane: o fogo está chegando. E por esse motivo, é nos dito "procurai diligentemente que por ele sejais achados imaculados e irrepreensíveis em paz" (3:14).

Tragicamente, multidões hoje estão se amoldando ao mundo em vez de à imagem de Cristo. Muitas igrejas parecem cada vez mais com o mundo secular, proclamando nada mais do que uma mensagem de auto-ajuda. Não dá para se dizer a diferença entre essas igrejas e a maioria dos programas de motivação seculares.

Que tragédia, andar na contra mão em tempos como esses. No entanto, apesar de todas essas coisas, Cristo está chamando Seus amados para chegarem mais perto Dele, e para examinarem seu caminhar à luz de Sua palavra.

Quando Cristo caminhou sobre a terra, Ele também alertou sobre grande desgraça que viria sobre Jerusalém e Israel. Na verdade, durante o tempo dos apóstolos – especialmente nos dias de Paulo – houve muita "encrenca dos seguidores de Jesus" devido aos seus pesados avisos.

Quando Paulo entrou em cena, doutrinas movidas pela carne e demônios estavam se alastrando na igreja. Falsos profetas tinham se erguido e conquistado seguidores nas igrejas do Pentecostes. Pregadores ímpios apareceram, fingindo serem anjos de luz e trazendo doutrinas de demônios.

Enquanto isso, no mundo externo, a homossexualidade estava desenfreada. Ao longo do Império Romano, perversões e atividades sexuais eram a norma do dia. O ego era exaltado, a carne era adorada, e o orgulho reinava. Até mesmo o templo em Jerusalém se tornara uma covil de ladrões, seus pastores focados totalmente no dinheiro.

Paulo diz o seguinte sobre essa sociedade, "Homens malignos estão suprimindo a palavra de Deus, entregues à uma disposição mental reprovável. São invejosos, gananciosos, fornicadores, cheios de contendas e cobiça, mexeriqueiros, insolentes, arrogantes, inventores de males, sem amor, impiedosos" (veja Romanos 1:28-31).

Soa para mim como se Paulo estivesse descrevendo nossos próprios dias. Ele estava ciente da profecia do Senhor sobre a destruição total a caminho. O dia estava chegando quando Jerusalém estaria em chamas. O templo e a cidade seriam arrasados.

Esse holocausto ocorreu em 70 D.C., bem como Paulo e Jesus profetizaram. Foi uma cena tão horrível, uma tragédia de proporções tão épicas, que ninguém a teria imaginado de antemão.

Eis a mensagem que Pedro pregou:

"Vós, portanto, amados, sabendo isto de antemão, guardai-vos de que pelo engano dos homens perversos sejais juntamente arrebatados, e descaiais da vossa firmeza; antes crescei na graça e no conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo" (2 Pedro 3:17-18).

Eis a mensagem que Paulo pregou:

"Para que possais andar de maneira digna do Senhor, aguardando-lhe em tudo, frutificando em toda boa obra e crescendo no conhecimento de Deus" (Colossenses 1:10).

Segundo as mensagens dos apóstolos, o que podemos esperar seja a mensagem para uma sociedade prestes a ser julgada em nossos próprios dias?

Encontramos essa palavra vinda de Paulo, e é dirigida aos amados de Cristo: "A minha oração é que vocês busquem a intimidade com Deus, cresçam no conhecimento espiritual, e caminhem dignos de Cristo" (Colossenses 1:9-10, paráfrase minha).

Então, o que é exigido para um caminhar de tal agrado? Paulo nos diz:

"Revesti-vos, pois, como escolhidos de Deus, santos e amados, de um coração compassivo, de benignidade, humildade, mansidão, longanimidade, suportando-vos uns aos outros, se alguém tiver queixa contra outro; assim como o Senhor vos perdoou, assim fazei vós também" (3:12-13, paráfrase minha).

Paulo está nos dizendo em muitas palavras: "Eis a minha palavra para vocês nesses tempos críticos. À luz dos tempos difíceis que sabem estar chegando, vocês devem pesar o seu caminhar com o Senhor".

Em outras palavras, devemos nos perguntar: "Estou me tornando mais semelhante a Cristo? Estou me tornando mais paciente, ou mais temperamental? Mais bondoso e brando, ou mais maldoso e briguento? Mais terno e disposto a perdoar, ou mais amargo, guardando rancor? Eu 'aguento as outras pessoas'? Eu tolero as fraquezas e defeitos dos próximos a mim, ou preciso estar sempre certo?".

Paulo está sugerindo que, à luz de um dia assim que se aproxima, não importa quais obras você conclui ou atos de caridade faz. Não importa o quão bondoso você seja com estranhos, não importa quantas almas você salve, a pergunta permanece: você está se tornando mais amoroso, paciente, perdoador, tolerante?

Examinar o seu caminhar com Cristo significa olhar não tanto para o que você está fazendo, mas no que você está se tornando.

Tal caminhar não pode ser alcançado apenas por esforço humano. Não vai acontecer por determinação própria, simplesmente se dizendo, "Vou me tornar esse tipo de crente". Ao contrário, acontece pelo operar do Espírito Santo, através da fé em Sua palavra.

Primeiro, lemos essas palavras e cremos que elas são o chamado de Deus a nós, para examinarmos nós mesmos. Então pedimos ao Espírito para nos mostrar quem verdadeiramente somos, e medimos a nós mesmos pela Sua palavra. Então, pedimos ao Espírito Santo para nos ajudar a mudar.

Veja, todos nós estamos sendo moldados, seja a Cristo ou ao mundo. E quanto mais velho um cristão se torna, mais ele ou ela deve ser como Cristo. Os nossos casamentos não deveriam ser um inferno na terra; devemos tomar as dores de nossos cônjuges, tornando-nos servos uns dos outros. Filhos em lares cristãos deveriam observar os pais mudando, tornando-se mais compreensivos, amorosos e bons. É isso que define maturidade em Cristo.

Agora entendo o que Pedro e Paulo estão dizendo, que é: "Não tema o que está por vir. Mantenha a palavra de Deus em sua lembrança todas as horas, em meio a todas as coisas. E enquanto isso, deixe o Espírito Santo torná-lo diferente, mais semelhante a Cristo".

Deus determina que todo o nosso sofrimento, todas as nossas aflições, todas as nossas duras provações nos atraiam para mais próximo Dele. De fato, dor e sofrimento ou lhe tornam mais duro, ou o levam à uma posição de total dependência do amor do Pai. Ou você desiste de orar e confiar, ou você lança todas as suas preocupações e futuro sobre Ele.

Nos foi dada a força interior para sermos capazes de declarar, "Nenhuma dessas coisas me abala". Essa é a mensagem de Deus para nós nesses dias. Aleluia!

Download PDF